Entidades comerciais de Volta Redonda defendem reabertura do setor varejista para 05 de maio

CDL e Aciap participaram de reunião com representantes da Prefeitura

Por O Dia

CDL e ACIAP de Volta Redonda se reúnem com representantes da prefeitura e defendem reabertura do setor varejista para 05 de maio
CDL e ACIAP de Volta Redonda se reúnem com representantes da prefeitura e defendem reabertura do setor varejista para 05 de maio -
Volta Redonda - Nesta segunda-feira, dia 27, os presidentes da CDL-VR (Câmara de Dirigentes Lojistas de Volta Redonda), Gilson de Castro e da Aciap-VR (Associação Comercial, Industrial e Agropastoril de Volta Redonda), Luís Fernando Soares Cardoso, participaram de uma reunião com os secretários de Desenvolvimento Econômico, Rogério Loureiro; e de Projetos Especiais e Captação, Joselito Magalhães, para discutir a reabertura do comércio.
No encontro, os secretários apresentaram a proposta da prefeitura, que traz a flexibilização a partir do dia 04 de maio, para alguns setores e para o dia 11 de maio, para o comércio varejista.
De acordo com Gilson de Castro, as entidades reforçaram a importância de reabrir de forma consciente as lojas até o dia 05/05, por conta do Dia das Mães, a segunda melhor data para o comércio em vendas. Ele disse ainda que hoje não acontece um isolamento social, porque as filas em bancos e correios e o próprio movimento nas ruas tem sido grandes, o que mostra que existe apenas um isolamento varejista e não da população. A flexibilização seria feita por período de seis horas de funcionamento.
"Além de antecipar essa reabertura para o dia 05/05 apresentamos a opção de três horários, que consideramos viáveis: de 9 às 14h; de 10h às 15h, ou de 11 às 17h. São horários alternativos que a prefeitura pode escolher entre eles e que não batem com a entrada e saída de outros setores, como o da indústria e escritórios, por exemplo, evitando aglomerações", explicou.
Luís Fernando , da Aciap-VR, lembrou que desde o início das negociações para flexibilizar a reabertura do comércio, as entidades têm sido defensoras das medidas preventivas para evitar a disseminação do novo coronavírus.
"Não queremos abrir de forma irrestrita. É preciso manter as ações protetivas como usar máscaras, álcool a 70%, higienização das superfícies de contato e manter em casa os funcionários com mais de 60 anos, gestantes, portadores de doenças crônicas e que apresentem algum sintoma de síndrome gripal. Precisamos voltar a funcionar, com todas as precauções necessárias. E o Dia das Mães é essencial para que se consiga recuperar esse fôlego do comércio", reafirmou.
Na live desta segunda-feira, dia 27, o prefeito Samuca Silva declarou que continua o diálogo com o Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ) e comentou sobre a proposta feita pelas entidades comerciais para a mudança da data de flexibilização para o dia 5 de maio.

“Não haverá abertura antes do dia 11 de maio, exatamente para evitar aglomerações devido ao Dia das Mães”, falou o prefeito.

E concluiu dizendo já falou outras vezes que existe uma sentença judicial. Não depende do prefeito e que é uma questão técnica a flexibilização e reabertura do comércio.

Comentários