Reabertura gradual do comércio poderá acontecer a partir do dia 4 de maio, desde que a pandemia esteja sob controle - Divulgação
Reabertura gradual do comércio poderá acontecer a partir do dia 4 de maio, desde que a pandemia esteja sob controleDivulgação
Por O Dia
Volta Redonda - Durante a live desta quinta-feira, dia 30, para atualização dos dados do combate à Covid-19, o prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, também informou detalhes sobre o novo decreto, após acordo com o Ministério Público, que permite a reabertura gradual do comércio e demais atividades econômicas no município, com medidas restritivas e preventivas para garantir a segurança da população.

Em Volta Redonda, uma decisão judicial impedia a retomada de atividades econômicas. Mas, após acordo com o Ministério Público e através de uma proposta técnica apresentada pelo prefeito Samuca Silva, as atividades poderão ser retomadas a partir do dia 4 de maio; desde que a pandemia esteja sob controle. Para isso, foram determinados seis eixos de avaliação diária que irão determinar a abertura ou não do comércio.

Os seis eixos são: o número de casos suspeitos não poderá aumentar em 5% por dois dias seguidos; A ocupação de leitos no CTI não ultrapassar 50%; A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60%; O grupo de risco permanecer em isolamento social; Uso de máscara é obrigatório nas ruas; Além de manter a proibição de qualquer tipo de aglomeração.

“Caso ocorra o desenquadramento de algum desses eixos, como o aumento por dois dias seguidos de 5% no número de casos suspeitos, haverá novamente o fechamento das atividades econômicas. No acordo, ficou decidido que caso um dos eixos extrapole, emitiremos novo decreto em 24 horas fechamento as atividades por sete dias até a normalidade novamente dos casos e do número de leitos”, esclareceu Samuca.

De acordo com Samuca, a proposta técnica de reabertura gradual das atividades ainda garante normas de higienização e restrições.

“Esse vírus é mundial e está circulando em Volta Redonda. Estamos conseguindo ter um número menor de internação porque estamos fazendo nosso dever de casa. Mas temos que manter o planejamento. Não queremos ver aqui cenas de desespero que estamos assistindo em outras cidades por falta de leitos”, explicou Samuca.

Conforme o decreto, assinado após acordo com MP, as atividades hoje em funcionamento permanecem abertas seguindo as medidas de restrição. Já a partir de 4 de maio, poderão ficar abertos: serviços de escritório, apoio administrativo e outros serviços prestados; atividades profissionais, cientificas e técnicas; atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados; informação e comunicação; comércio e reparação de veículos automotores; alojamento; bares e restaurantes com 30% da capacidade.

Já a partir de 11 de maio, devem ser liberados o comércio varejista; outras atividades e serviços; seleção e agenciamento e locação de mão de obra; atividades imobiliárias; além de agências de viagem, operadores turísticos e serviços de reservas. Essas atividades com horário das 14 horas às 22 horas.

“É necessária a união de todos nesse momento, para que possamos dar segurança para nossa população. Todos os estabelecimentos deverão adotar medidas de higienização, disponibilização de álcool em gel, controlar acesso de clientes a uma pessoa a cada 10m² e distância de dois metros de cada cliente, entre outras medidas que estão no decreto. Os comerciantes devem nos ajudar no cumprimento dessas medidas, assim como toda a população deve fiscalizar”, disse.

O decreto mantém proibido atividades que possam gerar aglomerações, como realização de eventos com presença de público, shows, teatro e cinemas. Academias e centros de ginástica permanecem proibidos, a não ser com atendimento e horário individual. As aulas na rede de ensino, pública e privada, seguem suspensas por tempo indeterminado.

O descumprimento do decreto, das normas sanitárias ou de funcionamento, vai acarretar aplicação de penalidades previstas em lei. Entre elas, multa, interdição do estabelecimento, cassação de alvará, fechamento do estabelecimento, embargo, apreensão de bens, entre outras sanções.

Os dados sobre contaminação também foram atualizados na cidade. Agora são 436 casos confirmados. Notificados como casos suspeitos são 1250, sendo que já 386 exames deram negativo. Volta Redonda tem mais uma morte confirmada, chegando agora a 12 vítimas. E já são 214 pessoas curadas da Covid-19 na cidade.