Volta Redonda registra a 21ª morte por coronavírus - Reprodução/ Internet
Volta Redonda registra a 21ª morte por coronavírusReprodução/ Internet
Por O Dia
Volta Redonda - O município de Volta Redonda registrou a 21ª morte por coronavírus. A informação foi confirmada pelo Prefeito Samuca Silva nesta quarta-feira, dia 13, através de uma transmissão ao vivo pelas redes sociais.
A morte registrada foi de um homem, de 74 anos, que estava internado na rede pública da cidade. Samuca Silva informou também que existem 605 casos confirmados do coronavírus e o número de casos notificados como suspeitos está em 1.621. Em Volta Redonda, há 503 pessoas consideradas curadas da covid-19.
Publicidade
O prefeito também informou que a Justiça Estadual deverá se manifestar até o final da semana sobre a manutenção ou não da reabertura de atividades comerciais na cidade. A ação foi impetrada pelo Ministério Público, que pediu novamente o fechamento das atividades na cidade.
De acordo com Samuca, a prefeitura irá se manifestar no processo a favor da reabertura ainda baseada nos eixos de monitoramente do avanço do vírus e da capacidade de atendimento a população nos leitos de UTI.

“Nossa proposta será técnica baseada nesses eixos de monitoramento. Ter metas claras de acompanhamento para que cenas de famílias desesperadas, procurando por atendimento médico sem conseguir não aconteçam aqui na cidade. Por isso buscamos a reabertura do comércio com critérios, como medidas de higienização, utilização de máscaras, entre outros”, disse o prefeito Samuca Silva.

Os eixos que são condicionantes para a reabertura das atividades econômicas, Volta Redonda segue dentro dos limites. São eles: o número de casos suspeitos não poderá aumentar em 5% por dois dias seguidos (hoje o aumento foi de 2,4%); A ocupação de leitos no CTI não ultrapassar 50% (estando com 11% de ocupação hoje). A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60% (permanecem em 5,26%); O grupo de risco permanecer em isolamento social; Uso de máscara obrigatório nas ruas; Além de manter a proibição de qualquer tipo de aglomeração.

“Mas friso que todos devem fazer sua parte e ir as ruas apenas em caso de necessidade. O grupo de risco deve permanecer em casa. Vamos usar máscaras, evitar aglomerações e higienizar as mãos. Todos nós somos responsáveis nessa guerra contra a covid-19”, comentou o prefeito.