Samuca será entrevistado hoje  - Secom/VR
Samuca será entrevistado hoje Secom/VR
Por O Dia
Volta Redonda - O Decreto Municipal nº 16.231, que controla o acesso de pacientes de outros municípios à Rede Municipal de Saúde de Volta Redonda foi assinado pelo prefeito, Samuca Silva, na noite do último sábado, dia 04. De acordo com o documento, os leitos disponíveis para tratamento da covid-19 serão reservados exclusivamente para os moradores de Volta Redonda.
A medida levou em consideração a flexibilização do isolamento social adotada em cidades da região, que pode provocar um aumento de casos de contaminação pelo novo coronavírus, sobrecarregando assim, a rede pública de saúde do município.
Publicidade
Samuca Silva destacou que Volta Redonda se preparou para a pandemia, ampliando número de leitos, criando Hospital de Campanha, e por isso a população da cidade deve ter prioridade para atendimento hospitalar.
"Não é justo que a população de Volta Redonda siga critérios rigorosos para diminuir a circulação do novo coronavírus e não tenha a assistência à saúde assegurada pelo poder público. É uma medida temporária para reserva leitos para nossa gente", disse Samuca.
Publicidade
Volta Redonda registrou, no sábado, dia 04, mais de 60% de ocupação de leitos de UTI/CTI reservados para tratamento de pessoas com a covid-19, extrapolando então, a meta do acordo judicial que permitiu a reabertura das atividades econômicas.
Por conta do aumento, as atividades econômicas não essenciais fecham por mais sete dias, a partir deste domingo, dia 05. Os serviços já estavam interrompidos há uma semana no município. A medida de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus também ajuda a manter a capacidade de atendimento à população nas unidades de saúde.
Publicidade
Samuca disse lamentar ter que manter as restrições ao funcionamento do comércio, medida que afeta a economia, mas o momento é de salvar vidas.
“O aumento dos casos graves de Covid-19 e de ocupação nos leitos de UTI, além da situação do Hospital Regional, que segue sem receber novos pacientes, nos obrigou a interromper a flexibilização diante do acordo judicial em vigor. Estamos com vírus sob controle mas para continuarmos assim precisamos manter a capacidade de atendimento e diminuir a velocidade do vírus na cidade. Foram 50 dias de comércio aberto no meio de uma pandemia”, disse o prefeito.
Publicidade
Samuca ainda afirmou que os fatos justificam a medida de reservar os leitos para cuidado da doença na rede municipal de saúde para os munícipes.