Força-tarefa atendeu mais de 320 denúncias em duas semanas em Volta Redonda - Divulgação
Força-tarefa atendeu mais de 320 denúncias em duas semanas em Volta RedondaDivulgação
Por O Dia
Volta Redonda - Desde a suspensão das atividades econômicas, no último dia 29, a Prefeitura de Volta Redonda reforçou as ações de combate à covid-19. A fiscalização tem atuado de maneira intensa para reduzir o contágio do novo coronavírus no município.
Nas últimas duas semanas, a força-tarefa atendeu mais de 320 denúncias de irregularidades e descumprimentos dos decretos municipais que estabelecem as condições para o funcionamento do comércio essencial e não essencial na cidade durante o período de restrição.
Publicidade
De acordo com os relatórios foram 16 estabelecimentos autuados e dez interditados. As denúncias são principalmente sobre estabelecimentos não autorizados a funcionar (50%), aglomeração (30%), falta de uso de máscaras (10%) e medidas de distanciamento e higienização (10%).
Os cinco bairros com maior número de registros nesse período são Retiro (46), Vila Santa Cecília (41), São João (39), Aterrado (33) e Santo Agostinho (15).
De acordo com as equipes, alguns estabelecimentos atendem os clientes com as portas fechadas para burlar a fiscalização. Os setores que mais estavam adotando essa prática foram academias, barbearias, salões de beleza e similares, lojas de calçados e roupas, lojas de tecidos, prestadores de serviços não autorizados, depósitos de bebidas e bares.
Publicidade
Força-tarefa atendeu mais de 320 denúncias em duas semanas em Volta Redonda - Divulgação
O prefeito Samuca Silva pediu mais conscientização por parte dos clientes e lojistas, que insistem em descumprir as medidas restritivas de prevenção à covid-19.
Publicidade
"O comércio foi fechado para diminuir a circulação de pessoas nas ruas e, com isso, diminuir a curva de contágio do vírus. Mas, se não houver a colaboração de todos vamos ter dificuldades em vencer essa batalha e as pessoas continuarão sofrendo com essa doença”, frisou Samuca.
As denúncias devem continuar sendo realizadas pela população através da Central de Atendimento Único (CAU), pelo telefone 156, e também pelo aplicativo FiscalizaVR.