Relatório aponta setores que mais desobedeceram às determinações legais em Volta Redonda - Divulgação
Relatório aponta setores que mais desobedeceram às determinações legais em Volta RedondaDivulgação
Por O Dia
Volta Redonda - O município de Volta Redonda, através da Central de Atendimento Único (CAU) e o aplicativo FiscalizaVR, já registrou 2.603 denúncias de descumprimento das normas sanitárias e de combate à covid-19, em estabelecimentos comerciais da cidade.
De acordo com o relatório, 2.498 já foram autuados, 63 interditados, 63 orientados, 874 foram denúncias improcedentes, 964 estabelecimentos estavam fechados e 434 não foram encontrados. As rondas são realizadas nos locais com atividades comerciais e nas ruas principais e secundárias em todos os bairros da cidade.
Publicidade
Os dados são relativos a um levantamento das ações atendidas pela Fiscalização de Atividades Econômicas e Sociais da secretaria municipal de Fazenda, da Prefeitura de Volta Redonda, no âmbito da força-tarefa. Não entraram neste levantamento as ações e medidas tomadas pela Vigilância Sanitária, Guarda Municipal, Secretaria Extraordinária de Segurança Pública, Polícia Militar, n Civil, Ministério Público.
O levantamento aponta ainda os setores que mais desobedeceram às determinações legais, em vários momentos e em decretos diferentes, e tiveram mais ações fiscais. Em primeiro lugar estão os bares, por causarem aglomerações, ultrapassarem o horário permitido ou não obedecerem ao atendimento somente por delivery (no período com restrição).
Publicidade
Em segundo lugar estão as lojas de rua, atividades não essenciais abertas sem autorização. Logo após, em terceiro lugar, ficaram os supermercados, por permitirem aglomerações ou não obedecerem às medidas de higienização e distanciamento.
Já o quarto lugar foi ocupado pelos salões de beleza e barbearias, abertos sem autorização, por atender mais de um cliente por vez. Os restaurantes, que não obedecerem ao atendimento somente por delivery no período com restrição ficaram logo após, em quinto lugar. Em sexto vieram os pet shops, que fizeram banho e tosa quando não permitido. Por fim, em sétimo lugar, ficaram as academias abertas sem autorização, e com mais de um aluno por professor.
Publicidade
Segundo o prefeito Samuca Silva, esse trabalho da força-tarefa, realizado com o auxílio da população é um grande aliado no combate ao coronavírus na cidade.
"Todas as denúncias que chegam na CAU, através do 156, e no aplicativo FiscalizaVR, que possuem dados suficientes, nós estamos fiscalizando. Essa parceria entre o poder público e a população está sendo essencial no combate a proliferação do novo coronavírus em nossa cidade”, disse o prefeito.