Casal de Volta Redonda relata como foi a luta contra o novo coronavírus - Arquivo pessoal
Casal de Volta Redonda relata como foi a luta contra o novo coronavírusArquivo pessoal
Por O Dia
Volta Redonda - Cerca de 4.245. Não são apenas números, mas sim pessoas curadas da covid-19 no município de Volta Redonda. Os relatos de quem vence o coronavírus são sempre cheios de medo, emoção e superação.
O Jornal O Dia conversou com Cleunice Reis, 38 anos e Milton Reis, 42 anos, que são casados e juntos venceram a luta contra o novo coronavírus. Durante a conversa, o casal relatou como foi enfrentar o isolamento e a espera pela cura.
Publicidade
Segundo a moradora de Volta Redonda, Cleunice Reis, a primeira reação foi de susto ao receber o resultado dos exames.
“Em um primeiro momento ficamos assustados e preocupados, porque não sabíamos como exatamente o vírus iria reagir em nosso organismo. Porém procuramos manter a calma e dá apoio um para o outro, porque os dias seriam difíceis”, contou.
Publicidade
Segundo Cleunice ela teve pneumonia no sétimo dia da doença, já o seu esposo apresentou um quadro mais leve da doença.
“Eu sentia muito cansaço, desânimo, sem força para levantar da cama. O meu esposo teve sintomas mais leves, então ele que fazia comida e cuidou de mim”, disse.
Publicidade
De acordo com o casal, os dias de isolamento são complicados, mas eram preenchidos com fé e esperança.
“Esses 14 dias pareciam não passar. Além do que já fazíamos no dia a dia que são as orações, leitura da Bíblia, assistíamos muitas lives, cultos e falávamos quase sempre com a família, amigos, irmãos da igreja, pastores e pastoras por mensagens e ligações”, contou.
Publicidade
Ainda segundo Cleunice e Milton, a melhor solução para conter o vírus é manter o distanciamento e cuidar da higienização.
“Se você não precisa sair, fique em casa. Evite aglomeração, use máscara, álcool em gel. Siga as orientações da secretaria de saúde. Estamos lidando com algo invisível que não sabemos nem de quem pegou e como pegou. Nossa preocupação é que às vezes pessoas podem ser assintomáticas e passar o vírus pra quem não vai reagir bem”, relatou.
Publicidade
Também de acordo com Cleunice Reis, tanto ela quanto o esposo, Milton, já estão retomando as atividades do dia a dia.
“Já estamos melhores e agradecidos a Deus e as pessoas que oraram pela gente. Felizes por termos vencido a covid. Fomos dar uma volta mesmo sem sair do carro, só para pegar um ar. Porque nesses 14 dias, só saímos de casa para irmos aos hospitais. Procuramos especialistas, como infectologista e pneumologista. Agora meu esposo já voltou a trabalhar”, explicou.
Publicidade
Para finalizar, Cleunice que também é pastora deixou uma mensagem para aqueles que estão enfrentando a doença.
“Você que nesse momento recebeu o diagnóstico que está com o vírus tente manter a calma, sei que não é fácil, alguns como eu podem estar tendo vários sintomas fortes, ou até mesmo estão internados. Não pense que você não vai suportar, Deus vai te dar força e assim como nós vencemos e fomos carregados e abraçados pelo Senhor você também será. Vai ficar tudo bem", declarou Cleunice.
Publicidade
O município de Volta Redonda tem 171 mortes por covid-19, de acordo com o último boletim divulgado pela prefeitura no sábado, dia 22. Cleunice também deixou um recado para aqueles que estão enlutados.
“Você que perdeu algum ente querido por conta do vírus, meus sinceros sentimentos que o Espírito Santo console seu coração. Que suas lágrimas sejam enxugadas e que você experimente o consolo na dor do luto. Nesses dias difíceis entregue sua vida aos cuidados de Deus e deposite nEle a sua confiança e esperança”, concluiu Cleunice Reis.