Tratamento precoce da covid-19 evita internações em Volta Redonda, diz Secretaria de Saúde

Cerca de 400 pacientes do grupo de risco utilizaram a Nitazoxanida no controle do agravamento do estado de saúde

Por O Dia

O tratamento precoce para a covid-19 é disponibilizado pela Prefeitura de Volta Redonda
O tratamento precoce para a covid-19 é disponibilizado pela Prefeitura de Volta Redonda -
Volta Redonda - O tratamento precoce dos pacientes do grupo de risco para a covid-19 disponibilizado pela Prefeitura de Volta Redonda deve ser ministrado em até dois dias dos primeiros sintomas para evitar a evolução da doença. Cerca de 400 pessoas já utilizaram a Nitazoxanida, que freou o agravamento dos sintomas, evitando internações e óbitos. O uso do medicamento na rede municipal de Saúde é ofertado desde o último mês de junho.
A secretária municipal de Saúde, Flávia Lipke, reforça que é fundamental procurar a unidade de referência para a covid-19 mais próxima de casa ao notar os primeiros sintomas indicativos da doença.
“O tratamento com Nitazoxanida é priorizado para pessoas acima de 40 anos com comorbidades – doenças que podem agravar o quadro da Covid-19, e os pacientes que fazem parte do grupo de risco para a doença, principalmente idosos e pessoas com doenças crônicas. A administração do medicamento é iniciada assim que identificados sintomas da covid-19, antes mesmo da chegada do resultado do teste de swab, colhido na unidade de saúde”, frisou.
Os Centros de Triagem para atendimento de casos suspeitos do novo coronavirus em Volta Redonda são as Unidades Básicas de Saúde dos bairros 249, São João, Vila Mury e Volta Grande, que ficam abertas das 8h às 22h, além do Centro de Doenças Respiratórias (CDR), que passou a funcionar em anexo ao Hospital do Idoso, das 8h às 19h.
O procedimento foi seguido à risca pela família de Maria Teresa Gilly, que mora no bairro Sessenta. Ela levou a irmã, Ana Maria Gomes, e o filho Bruno até o CDR em busca do tratamento.
“Eu e minha irmã estávamos com sintomas de gripe forte. Na última semana, iniciamos o tratamento juntas, mas somente o teste dela deu positivo para covid-19. Mas, após começar a tomar o medicamento, os sintomas logo desapareceram. Agora, continuamos cuidando para que ela não passe o vírus para ninguém”, contou Maria Teresa.

Alvacir de Araújo é moradora do Aterrado e também procurou o CDR, na última semana de setembro, com sintomas da doença.
“Tive dor de cabeça e no corpo, além de muito cansaço. Mas o tratamento foi muito eficaz no meu caso. Logo estava me sentindo bem”, disse.
A secretária de saúde ressalta que a eficácia da Nitazoxanida ajuda a manter a capacidade de leitos para internação em casos graves da covid-19 em Volta Redonda e assim permitir a flexibilização progressiva das atividades econômicas e sociais. Porém, a possibilidade desse tratamento não deve substituir o distanciamento social, o uso de máscara e a higienização das mãos como forma de prevenção, principalmente para as pessoas do grupo de risco.

Comentários