Volta Redonda possui uma rede completa de assistência à mulher vítima de violência - Divulgação
Volta Redonda possui uma rede completa de assistência à mulher vítima de violênciaDivulgação
Por O Dia
Volta Redonda - A Secretaria Municipal da Mulher, Idosos e Direitos Humanos (Smidh) de Volta Redonda conta com uma rede completa de assistência à mulher vítima de violência. E, para lembrar o ‘Dia Internacional da Não Violência Contra as Mulheres’, celebrado em 25 de novembro, esta quarta-feira, o município reforçou a divulgação dos serviços.
A cidade conta com o CEAM; a Central de Atendimento; a Patrulha Maria da Penha; a Casa Abrigo para mulheres em risco de vida; o projeto de defesa pessoal “Eu me amo, eu me protejo”, que consiste em aulas de luta, adaptadas para a defesa pessoal de mulheres em situações de assédio, abuso e agressão, no Cemam (Centro Municipal de Artes Marciais), suspenso por conta da pandemia; além da DEAM (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher).
Publicidade
De acordo com a coordenadora do CEAM, Ludmila Aguiar de Assis, mesmo durante a pandemia o serviço foi ofertado.
“Em março, lançamos a campanha “Você não está sozinha. Ainda distantes, estamos juntas” que divulgou os números de telefone da Central de Atendimento à Mulher, 180; da Polícia Militar, 190; e do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM), 3339-9025 ou 3339-9215; para que as denúncias pudessem ser feitas sem sair de casa”, contou.
Publicidade
Ela lembrou ainda que, já em maio, o atendimento presencial foi retomado com o revezamento da equipe formada por psicóloga, assistente social e advogada.
“De janeiro até outubro deste ano, o CEAM realizou quase 570 atendimentos. E a Patrulha Maria da Penha acompanhou em 2020, até o momento, 304 medidas protetivas para mulheres em situação de risco”, afirmou Ludmila.
Publicidade
O CEAM funciona na sede da Secretaria Municipal da Mulher, Idosos e Direitos Humanos (Smidh), na Rua Antônio Barreiros, nº 232, no bairro Nossa Senhora da Graças, das 9 às 17h.