Reunião traça metas para valorização da economia solidária em Volta Redonda - Geraldo Gonçalves/PMVR
Reunião traça metas para valorização da economia solidária em Volta RedondaGeraldo Gonçalves/PMVR
Por O Dia
Volta Redonda - Ações voltadas para incentivar a “Economia Solidária” acontecerão a partir do dia 06 de fevereiro e seguirão até o final do mês de março, em Volta Redonda. Uma reunião foi realizada na última sexta-feira, dia 29, para tratar sobre o assunto. O secretário municipal de Ação Comunitária, Munir Francisco, recebeu representantes da Toca Empreendimentos - empresa que presta serviços de assessoria e fomento às iniciativas de empreendedorismo social e solidário na região.
O projeto, que ganhou apoio da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa (SECEC) pela “Lei Aldir Blanc”, prevê a aplicação de R$ 100 mil diretamente na economia local, investindo nos próprios empreendimentos econômicos solidários e culturais, com o objetivo reinserir atores sociais e culturais na região do Médio Paraíba, no mercado produtivo, formal e informal.
Publicidade
“Com a pandemia, infelizmente vimos crescer o número de pessoas que perderam seus empregos. Fomentar a Economia Solidária é investir em políticas públicas que valorizam o empreendedor”, disse o secretário.
A primeira parte do projeto, que terá início no dia 06, é a realização de um curso on-line e gratuito de formação em Economia Solidária, Cultura Popular e Turismo. Nesta etapa serão abordados os principais temas da economia solidária e do empreendedorismo social, a partir da realidade dos próprios empreendimentos da região.
Publicidade
Com isso, a secretaria espera favorecer o desenvolvimento de empreendimentos e redes de cunho associativo e popular, voltados à geração de trabalho e renda através de capacitação, sobretudo, do setor informal. Podem participar empreendedores de Economia Solidária, beneficiários de programas de Assistência Social e gestores públicos. As inscrições serão feitas pelo link: https://is.gd/cursoecosol.
“A ideia é, junto com o governo municipal, construir o fomento da valorização do trabalho e da renda local. As pessoas produzem, vendem como forma de garantir sua renda e o município fomenta e tem interesse que isso aconteça e aumente. Porque o dinheiro que o artesão, o catador de papel ganham aqui, eles gastam aqui. Estamos falando em desenvolver território e economia local. Então é muito mais que uma feira, um curso, um evento”, explicou uma das representantes do projeto, Andréia Brito.
Publicidade
Os envolvidos trabalham ainda na produção de um catálogo virtual de Cultura e Economia Solidária do Médio Paraíba, com o objetivo de dar visibilidade aos empreendedores e a possibilidade de negociação direta entre produtor e consumidor final. Além disso, está em fase de produção, um documentário sobre a Cultura Popular e Economia Solidária do Médio Paraíba.
O filme de cerca de 30 minutos constrói sua narrativa a partir da história dos próprios empreendimentos de cultura e economia solidária, com depoimentos de lideranças do movimento de artesanato, cultura popular, catação de materiais recicláveis, agroecologia, saúde mental, dentre outros.
Publicidade
Para finalizar, está prevista a realização de um Festival de Cultura Popular e Economia Solidária do Médio Paraíba, marcado para acontecer no dia 28, embaixo da Biblioteca Municipal Raul de Leoni. O evento contará com a comercialização de produtos de artesanato, gastronomia artesanal, agricultura familiar orgânica e agroecológica e, também, serviços. Simultaneamente à comercialização, também acontecerão intervenções culturais e painéis de debates.
“Nesse primeiro mês já nos reunimos com as cooperativas de resíduos sólidos e com outras entidades e conselhos para dar prosseguimento ao que era feito e continuar avançando. Num curto espaço de tempo vamos voltar a ser referência nacional como éramos nos mandatos anteriores”, finalizou Munir.