Prefeituras discutem ações unificadas contra a covid-19
Prefeituras discutem ações unificadas contra a covid-19 Divulgação
Por O Dia
Volta Redonda - Uma reunião com o promotor do Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro (MPRJ), Leonardo Kataoka e os prefeitos de Volta Redonda, Antonio Francisco Neto, de Barra Mansa, Rodrigo Drable e de Pinheiral, Ednardo Barbosa foi realizada na tarde desta segunda-feira, dia 15. O encontro que aconteceu no gabinete do Palácio 17 de Julho e teve como objetivo unificar as ações de combate à covid-19 entre as três cidades.

Na reunião, os prefeitos estabeleceram novos horários de funcionamento de bares. Nas três cidades, os bares poderão funcionar até as 22h, tendo 1 hora de tolerância para seu fechamento total, com capacidade de 50% de ocupação. Será permitida música ao vivo, sem pista de dança, para os estabelecimentos que já possuem permissão para este tipo de atividade.

Em todos os estabelecimentos, continua obrigatório o uso da máscara; da oferta de álcool 70% na entrada; bem como o uso de medidor eletrônico de temperatura corporal.

Em Volta Redonda, a prefeitura já havia alterado o decreto nº 16.586, em vigor desde o dia 07 de março, reforçando medidas mais restritivas contra a covid-19. Da mesma maneira, ampliou os esforços da força-tarefa de fiscalização das novas regras, junto com a Secretaria de Fazenda, Vigilância Sanitária, Guarda Municipal, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

O prefeito Antonio Francisco Neto comentou sobre as ações em parceria com as outras cidades.

“Os municípios estão buscando cumprir a sua parte. Aqui em Volta Redonda, por exemplo, a fiscalização é intensa. Não é só fazendo novos decretos que vamos mudar essa realidade, a população agora precisa fazer sua parte. Não está descartado que novas medidas sejam adotadas em breve”, ressaltou Neto.

As cidades mantiveram o funcionamento de igrejas e de templos religiosos com 50% de ocupação respeitando as regras de distanciamento. Já as academias de ginástica poderão funcionar com 30% de ocupação, respeitando as mesmas regras de distanciamento social e higienização.

Na reunião também foi decidido que casas de festas e congêneres, em estabelecimentos particulares ou alugados, poderão funcionar com a ocupação máxima de 30% de sua capacidade, sendo obrigatória a exigência de máscaras para permanência nos referidos espaços e horário de funcionamento até às 22h.

Segundo o promotor do MPRJ, Leonardo Kataoka, comentou sobre a importância do diálogo e de ações que possam amenizar o avanço do vírus na região.

“O Ministério Público vê com preocupação o número de pacientes internados no Hospital Regional do Médio Paraíba Zilda Arns. Entende como fundamental a união e diálogo dos municípios para adoção de medidas de proteção à vida e alerta a população da necessidade de se manter as medidas de prevenção ao contágio”, disse Kataoka.