Idosos, acamados e segunda dose são prioridades com nova remessa de 5.410 vacinas
Idosos, acamados e segunda dose são prioridades com nova remessa de 5.410 vacinasDivulgação
Por O Dia
Volta Redonda - A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Volta Redonda recebeu na manhã deste sábado, dia 27, um novo lote com 5.410 doses da vacina contra a covid-19, sendo 4.570 CoronaVac e 840 Oxford (AstraZeneca). Segundo a SMS, com a entrega desta nova remessa, a vacinação será retomada na segunda-feira, dia 29.
Deverão comparecer às Unidades Básicas de Saúde (UBS) e da Família (UBSF), idosos e outras pessoas do grupo prioritário da campanha, que tomaram primeira dose até a data de 08 de março, e ainda não fizeram a segunda dose. Isso engloba também as pessoas que tinham a segunda dose marcada para os dias 25 e 26 de março, e que não foram imunizadas por falta de vacinas no período.
Publicidade
Ainda segundo a secretaria de Saúde, apenas essas pessoas devem comparecer em uma das 46 Unidades com seu cartão de vacinação da covid-19, cartão do SUS ou um documento de identidade. É fundamental apresentar o cartão de vacinação que comprove a data estabelecida da 2ª dose.
A Prefeitura de Volta Redonda informou que os idosos, de 72, 71 e 70 anos, terão a sua primeira dose fornecida nos próximos dias e que o anúncio das datas será feito através dos canais oficiais do governo municipal: www.voltaredonda.rj.gov.br e redes sociais (Facebook: @PrefeituraVR e Instagram prefeitura.vr).
Publicidade
A SMS também anunciou que nesta fase de vacinação o foco será com os idosos, que são o grupo mais numeroso de pessoas que ainda precisam se vacinar dentro do Grupo I de prioridade.
A vacinação em idosos acamados será retomada na tarde deste sábado, dia 27, através do mutirão da saúde que dispõe de duas equipes volantes de vacinação. As equipes atenderão os idosos em domicílio de dois bairros Conforto e Volta Grande.
Publicidade
“Estamos com equipe reforçada no atendimento aos idosos acamados, priorizando os que estão com segundas doses a tomar no prazo”, disse o coordenador do departamento, médico sanitarista Carlos Vasconcellos.