Economia

Coluna do Servidor: Votação só depois de salários em dia

Picciani condiciona análise de projeto que eleva contribuição previdenciária a acerto de pendências

Rio - Os projetos de lei polêmicos que elevam para 22% a contribuição previdenciária dos servidores do estado só serão votados pela Alerj depois que os salários atrasados, incluindo o 13º e as horas extras da Segurança, forem quitados. Foi o que definiu o presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB), acrescentando que o estado também precisa apresentar calendário para pagamento em dia.

“As votações de aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14% e a da criação de taxa extraordinária de 8% só ocorrerão após o estado pagar os atrasados e divulgar calendário para pagamento dos servidores em dia”, afirmou Picciani à coluna.

Com isso, os primeiros projetos do novo pacote de austeridade que entrarão em pauta vão ser o da privatização da Cedae e a autorização para o Rio tomar empréstimo bancário. As votações vão ocorrer do dia 6 a 10 de fevereiro. Isso porque foi acordado entre o estado e a União que a operação financeira tem que ter como garantia as ações da companhia. 

Picciani diz que governo precisa apresentar calendário para pagar servidores em dia. Só assim o aumento do desconto previdenciário será votado Valter Campanato / Agência Brasil

E, segundo o próprio governador Luiz Fernando Pezão, os empréstimos, que somam R$ 6,4 bilhões, são exclusivamente para quitar as folhas. “Vamos votar na semana de 6 a 10 de fevereiro o pedido de empréstimo para pagar salários atrasados e também a federalização ou privatização da Cedae, pois para obter empréstimo tem que ter garantia real”, disse Picciani.

Resistências

O novo pacote de austeridade é tão controverso quanto o que foi enviado pelo Executivo estadual à Alerj em novembro de 2016. E, por isso, a promessa é de resistência por parte de muitos deputados. O cenário até vem mudando, com as promessas de ajuda da União, mas ainda assim a costura política será intensa.

O que já se fala é em rejeição ao texto que cria taxa extra de 8% e, além disso, a venda da Cedae não deve passar fácil. O Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe) também pressionará o Legislativo com atos e o primeiro ocorrerá na quarta-feira, na abertura dos trabalhos na Alerj.

Estado foi ao STF para tentar antecipar efeitos de acordo com a União

O governo estadual foi ao Supremo Tribunal Federal (STF) ontem para validar e antecipar os efeitos do termo de compromisso assinado com a União na quinta-feira, conforme antecipou a coluna na edição desta sexta-feira.

A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) protocolou uma Ação Civil Originária (ACO) com o objetivo de não esperar as votações no Congresso e na Alerj e conseguir a liberação para obter empréstimo e quitar as folhas.

A informação foi confirmada à coluna ontem pelo governador Luiz Fernando Pezão. “Demos entrada hoje (ontem) no termo de compromisso. Não só para evitar o bloqueio das contas, mas para fazer operações de crédito também”, disse.

A alegação da PGE é de que a situação do Estado do Rio é calamitosa e que o governo “não dispõe de recursos para nada”. E o termo de compromisso entre estado e União prevê empréstimo de R$ 6,4 bilhões: R$3 bilhões que podem ser autorizados com a garantia da privatização da Cedae e R$ 3,4 bilhões em operações de antecipação de royalties futuros de petróleo.

Como o Rio ultrapassou o teto de gastos da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) não tem autorização para obter empréstimo. Por isso, a União terá que enviar projeto de lei ao Congresso que altera esse item da LRF. Mas com a ação no STF, o estado pretende tornar imediato esse efeito, tendo em vista a urgência em conseguir o crédito.

Já a autorização para o estado obter empréstimo cabe à Alerj. Além disso, a venda da Cedae terá que ser aprovada, o que não deve ser fácil. Isso porque, ressaltam alguns deputados, é uma empresa estatal superavitária, que não utiliza recursos do Tesouro Estadual. Agora é aguardar.

Muspe agenda ato para dia 1º

O Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe) convocou o funcionalismo para um grande ato no dia 1º de fevereiro (data de início do calendário de trabalhos da Alerj) contra a venda da Cedae e o aumento do desconto previdenciário.

Nesse dia, os deputados esperam que Pezão vá à Casa apresentar o programa de governo de 2017, principalmente os termos do acordo com a União. O Muspe promete pressionar para não deixar passar os projetos que afetam os servidores. Quer abertura do processo de impeachment de Pezão na Alerj.

Protesto toma a porta da Secretaria de Educação

Os executivos e gestores públicos — carreiras recém-criadas para a modernização do estado — fizeram um protesto ontem, por volta das 11h, em frente à Secretaria Estadual de Educação, no Santo Cristo.

Os servidores, que integram as pastas da Educação, Saúde e Fazenda/Planejamento, estão em greve desde o início do ano e pedem o estabelecimento de um calendário único de pagamento e o crédito do 13º com correção monetária às categorias que ainda não receberam.

Servidores fizeram um protesto em frente à Secretaria de Educação nesta sexta-feira. Eles reivindicaram melhores condições de trabalho e o pagamento em dia dos salários Foto: Sandro Vox / Agência O Dia

O ato música foi marcado pelo bom humor, com palavras de ordem e servidores com nariz de palhaço. Os funcionários ativos da Educação e da Fazenda, que já receberam o salário de dezembro e também o 13º, ressaltam que pleiteiam a quitação da folha de todo o funcionalismo e um tratamento isonômico de todos os servidores, sejam da ativa, aposentados ou pensionistas.

A pauta de reivindicações inclui ainda a melhoria nas condições de salubridade dos ambientes de trabalho.  As categorias farão ainda assembleias na próxima semana para decidir os rumos do movimento.

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie