Vasco

Vasco consegue efeito suspensivo e eleição só será definida após perícia técnica

Desembargadora acatou pedido e votos da urna 7 voltaram a ser válidos

Rio - A eleição do Vasco ocorrida no último dia 7 segue sem definição. Nesta quinta-feira, a desembargadora Marcia Ferreira Alvarenga acatou um efeito suspensivo pedido pela clube para que os votos da urna 7 voltem a ser considerados válidos. Com isso, o resultado oficial do pleito só será conhecido após o parecer final da perícia técnica.

Com a decisão, a chapa encabeçada por Eurico Miranda volta ao primeiro lugar com 2.111 votos. Julio Brant fica com 1.975. A urna 7 contou com 691 eleitores, 475 compareceram à votação. Eurico teve 428 votos e apenas 42 escolheram Brant.

Eleição do Vasco segue com indefinição Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Para validar a decisão, a desembargadora apontou que a validade dos votos da urna 7 só poderá ser tomada após realizada a perícia técnica na urna e no caderno de votação, ambos em juízo, para saber quem foram os 475 votantes - ao total, 691 nomes poderiam votar naquela urna. Ela lembra ainda que não houve perícia nos documentos fornecidos pelo clube na tentativa de comprovar a regularidade dos sócios referidos.

A urna contestada pela oposição conta com  sócios de que se filiaram ao clube em novembro e dezembro de 2015, num fluxo muito maior que o registrado nos meses anteriores. O clube afirma que houve um represamento anteriormente por causa do fim da categoria de sócio geral, que aconteceu no fim daquele ano.


Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie