Joana Milliet: Mídia-educação na rede de ensino do Rio

Uma sociedade que se deseja sustentável precisa preparar os estudantes para lidar, criticamente, com a avalanche de materiais publicitários dirigidos a eles diariamente

Por O Dia

Rio - Entender como as escolas municipais de Ensino Fundamental do Rio inserem as linguagens dos meios de comunicação em suas práticas pedagógicas foi um dos objetivos da pesquisa ‘Projetos de mídia-educação nas escolas da Rede Pública Municipal do Rio de Janeiro e aprendizagem escolar’, cuja primeira etapa teve a participação de 924 escolas (91%) da rede. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Desiderata e pelo Grupo de Pesquisa Educação e Mídia da PUC-Rio, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação. 

Uma das dimensões pesquisadas foi a de análise de conteúdos midiáticos (filmes, programas de televisão e de rádio, textos jornalísticos, etc.), cujas práticas regulares aprimoram o conhecimento sobre seus modos de produção, assim como ampliam o senso crítico dos estudantes.

Os dados apontam que cerca de 80% das escolas realizam pelo menos uma vez por semana análises de filmes e vídeos (90,6%), fotografias e imagens (81,1%) e matérias jornalísticas (80,8%). Isso significa dizer que existe prática consolidada de analisar textos e imagens, integrada às atividades pedagógicas. Os dados mostram, no entanto, que falta ampliar práticas de análise de publicidade (58,1%), que integram currículos escolares de países como Inglaterra e Suécia há mais de três décadas.

Uma sociedade que se deseja sustentável precisa preparar os estudantes para lidar, criticamente, com a avalanche de materiais publicitários dirigidos a eles diariamente. A análise de programas de rádio também aparece com pouco prestígio (12,9%). Considerando a alta audiência de rádio no país, é importante para o letramento midiático a ampliação de práticas regulares de análise de produtos veiculados nesse formato.

A pesquisa também analisou outras dimensões das práticas mídia-educativas, como produção de mídia e infraestrutura. A extensão dos dados permite afirmações seguras em relação à mídia-educação nas escolas municipais cariocas, oferecendo um importante diagnóstico para avaliação e formulação de políticas públicas, podendo ser replicada para monitorar o desenvolvimento da área e garantir a continuidade e aperfeiçoamento das ações.

Joana Milliet é gerente da Área de Educação do Desiderata


Últimas de Opinião