Após se afastar da TV, Jonas Torres volta à cena em 'Império'

Ator dá vida a um catador de lixo. Folhetim estreia hoje, às 21h

Por O Dia

Rio - Como todo ser humano, Jonas Torres é único. Mas a singularidade do ator, que está de volta à TV em ‘Império’, para por aí. Múltiplo é o mínimo que se pode dizer de alguém que tem dupla nacionalidade — brasileiro e norte-americano —, que estreou no cinema no filme ‘Bar Esperança’ com apenas 9 anos, conheceu a fama aos 10, na novela ‘Vereda Tropical’, e virou fenômeno no ano seguinte como o Bacana de ‘Armação Ilimitada’. Tempos depois, ele serviu ao exército dos Estados Unidos. Lá, Jonas se tornou piloto de avião e deu expediente como rádio-operador em plataforma de exploração de petróleo. A movimentada vida profissional do intérprete de Ismael da trama de Aguinaldo Silva reflete a sua personalidade inquieta.

Jonas como o Bacana de ‘Armação’ e na pele de Ismael%2C de ‘Império’Rede Globo / Divulgação

“Vivo intensamente, tenho sede de conhecimento, gosto de coisas diversas e que me levem para caminhos diferentes. A gente deve alimentar os sonhos. É muito melhor se arrepender de algo que não tenha dado certo do que de algo que não se fez”, analisa o ator.

Se tem uma coisa da qual Jonas não se arrepende, pelo contrário, se orgulha, é da sua trajetória até aqui, o que não o impede de, neste momento, estar com a sua energia 100% voltada para o trabalho na nova novela das 21h. “Tenho milhões de facetas, mas retomei a carreira para ficar. Mesmo tendo feito outras coisas, nunca deixei de ser ator. Você é artista ou não é. E eu sou! Não sei se vou mudar de novo, não dá para prever o futuro, mas o que posso dizer é que estou muito entusiasmado com o Ismael”, diz, referindo-se ao catador de lixo de caráter duvidoso da novela ‘Império’.

Para ter a chance de voltar à ativa, foi preciso fazer contatos com profissionais que conhecia desde pequeno. “Comecei a dizer que estava com vontade de fazer novela, de me dedicar novamente à profissão de ator. Aí, acabei sendo chamado para ‘Império’. Acho que estava no lugar certo, na hora certa”, conta o ator, que faz a sua estreia no horário nobre.

A determinação é tanta que nem a instabilidade da profissão o assusta: “Todas as profissões têm prós e contras e, sem dúvida, a instabilidade é algo complicado. Os trabalhos têm fim e aí o único jeito é buscar oportunidades, se reinventar.”

O ator em cena como catador de lixo em ‘Império’%2C que estreia hojeDivulgação

Definitivamente, se reinventar é algo que Jonas sabe fazer, apesar de ser eternamente lembrado por um personagem. “As pessoas não esquecem o Bacana e isso é ótimo. O sucesso deste personagem nunca me incomodou, nem atrapalhou a minha carreira. Pelo contrário. É bom demais sentir que pessoas da minha faixa etária e mais velhas do que eu têm carinho por mim por causa do meu trabalho em ‘Armação Ilimitada’.”

A fama, aliás, nunca o abandonou. “Quando morei nos Estados Unidos, ninguém me reconhecia, mas sempre que vinha ao Brasil, as pessoas diziam que eu deveria voltar à TV. Nunca me senti cobrado a ter que fazer novela novamente, mas era gostoso sentir o carinho do público”, comenta o ator, que voltou a viver no Brasil em 2006.

Prestes a completar 40 anos em setembro, o menino que encantou o país nos anos 80 virou pai de família. E não há espaço para crise existencial por conta da chegada da maturidade. Casado com a fotógrafa Daniele Raible, ‘paidrasto’ de Pedro, 11, e pai de Nina, 4, ele se sente realizado. “Estou feliz com as minhas escolhas. Corri atrás do que quis e hoje me sinto realizado”, constata. E uma das escolhas de Jonas foi morar longe do agito das grandes cidades: “Escolhi viver em Bertioga, litoral sul de São Paulo, para criar as crianças em um lugar calmo. Temos paz e tranquilidade. Pegar a ponte-aérea para trabalhar não é problema”, conclui.

Últimas de Televisão