Tuca Andrada faz passagem-relâmpago em ‘Babilônia’ como marido de Inês

Uma participação que deixará gosto de quero mais

Por O Dia

Rio - De um lado, uma mulher ambiciosa, sem caráter, capaz de vender a filha para subir na vida. Do outro, um homem honesto, profissional competente e pai exemplar. O que poderia ser o perfil de dois inimigos é, na verdade, do casal Inês (Adriana Esteves) e Homero (Tuca Andrada), de ‘Babilônia’. Já no primeiro capítulo da novela das 21h, ficou claro que aquela união estava fadada ao fracasso. “É um casamento infeliz desde sempre e que vai piorando. Com a passagem de tempo de dez anos, a relação está totalmente deteriorada, principalmente porque a Inês é uma mulher insatisfeita por natureza, que não está satisfeita nem com ela mesma”, diz Tuca.

Tuca Andrada será Homero na novela 'Babilônia'Divulgação


O casal não conhece o que é felicidade nem quando se muda para Dubai, nos Emirados Árabes, graças à chantagem que Inês faz com Beatriz (Gloria Pires) depois de flagrá-la aos beijos com o amante, Cristóvão (Val Perré). “O Homero é um engenheiro competente, sério, e que não sabe que a mulher conseguiu uma promoção para ele na empreiteira do Evandro (Cássio Gabus Mendes, noivo de Beatriz) fazendo chantagem. Se ele soubesse disso, não teria aceitado e, certamente, pediria a separação. Mas o fato é que o casamento deles fica ainda pior em Dubai. É lá que o Homero conhece realmente quem é a Inês”, conta o ator.

Diante da ascensão social, a vilã revela toda a sua ambição ao gastar o salário inteiro do marido em futilidades. O consumismo excessivo de Inês é um fator agravante para que o casamento beire o insustentável. “A Inês é uma pentelha, do tipo que o marido cede às pressões para ela parar de encher o saco. Em Dubai, eles levam uma vida padrão AA, esbanjam, mas, entre quatro paredes, são absolutamente infelizes. A Inês sempre quer mais. Em Dubai, o Homero descobre que a Inês é um monstro ao vê-la tentando forçar a filha (Alice/ Sophie Charlotte) a se casar com um sheik milionário”, adianta Tuca.

Apesar de dormir com uma inimiga, Homero não tem coragem de colocar um ponto final no casamento. “O maior erro que o meu personagem comete é a acomodação. O tempo vai passando e ele vai ficando naquela situação. Eu não seguraria essa onda de permanecer anos num casamento infeliz”, admite o ator.

E a separação só acontece porque Homero morre no capítulo de amanhã. O engenheiro, que sofre com fortes dores de cabeça, perde a vida depois de ter uma convulsão. “Ele aguenta aquela mulher até a morte”, conta. Mas, ao contrário do que se possa imaginar, a ambição, pivô da crise do casamento de Homero, não é vista como vilã por Tuca. “A ambição só vira doença quando a pessoa não tem escrúpulo e passa por cima de alguém para conseguir o que quer. Eu tenho ambição, eu quero uma vida melhor, personagens melhores. Quem não tem ambição está morto”, acredita.

A passagem-relâmpago por ‘Babilônia’ deixou saudades no ator. “É claro que fica um gostinho de quero mais. Mas, apesar de rápida, foi uma participação maravilhosa”, afirma. A viagem a Dubai foi a cereja do bolo. “Sempre gosto de começar um trabalho viajando. Foi um prazer, um tesão gravar lá. Não conhecia Dubai, e foi muito interessante trabalhar em um lugar tão diferente, com outra cultura. Deu para passear um pouco também”, comemora.
E, agora que ‘Babilônia’ está prestes a virar coisa do passado para Tuca, ele já toca um novo projeto. “Vou estrear em maio a peça ‘O Olho Azul da Falecida’ no Teatro Maison de France.”

Últimas de Televisão