Economia

Servidor: Pezão descumpre acordo e não repassa duodécimo de abril ao TJ

Segundo fontes do Judiciário, governador disse que pretende parcelar em 10 vezes o pagamento, até o dia 10 de maio

Rio -O mês passou, mas os problemas são os mesmos. Assim como ocorreu em março, o governo estadual voltou a romper o acordo que fez com o Judiciário do Rio e não repassou nesta quinta-feira o duodécimo de abril ao Tribunal de Justiça do Estado (TJ-RJ).

Além disso, fontes do TJ afirmam que o governador Luiz Fernando Pezão informou ontem à presidência do tribunal que pretende fazer o pagamento em dez parcelas até 10 de maio. Também não houve transferência de verbas ao Ministério Público (MPRJ).

O repasse dos recursos orçamentários aos Poderes e órgãos (Ministério Público e Defensoria Pública) tem que ser feita até o dia 20 de cada mês por determinação da Constituição Federal. Como há determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) para que o pagamento ao Poder fosse feito hoje, o TJ-RJ comunicou o fato à Corte e pediu o arresto das contas estaduais. Até o fechamento desta matéria, o pedido ainda não havia sido apreciado. 

A decisão do ministro Dias Toffoli, do STF, que reforça a norma constitucional, é fruto de acordo entre o Executivo e o Judiciário Fluminense, feito em audiência de conciliação em dezembro de 2016 no Supremo. Na época, o TJ-RJ entrou com mandado de segurança devido aos atrasos nos pagamentos.

Só que o estado, em crise financeira, não deve apenas ao TJ-RJ: o Legislativo, MPRJ e Defensoria também têm sofrido com atrasos dos repasses do duodécimo desde fevereiro. A coluna questionou os órgãos para saber se receberam ontem os repasses de abril. Porém, até o fechamento da edição, apenas o Ministério Público comunicou que não recebeu.

O MP disse ainda que o estado continua devendo o restante do duodécimo de março e que ainda não há como confirmar se pagará os salários de servidores e promotores no próximo dia 29 (último dia útil de abril). No mês passado, o MP entrou na Justiça para pedir que o Executivo pagasse ao órgão e, ao que tudo indica, o mesmo ocorrerá este mês.

212 mil sem salário de março

Os servidores do Executivo do Rio são os que enfrentam o maior período de atraso salarial. Agora, são 208 mil funcionários aguardando o salário referente ao mês de março, que deveria ter sido pago no último dia 17 (décimo dia útil). Ainda não há previsão de calendário.

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie