Rio

Centro espírita no Humaitá é atacado pela segunda vez nesta semana

Responsável pela Casa do Mago prestou depoimento na 10ª DP na noite desta quarta-feira

Rio - Um dos mais conhecidos centros espíritas da Zona Sul do Rio foi atacado pela segunda vez na mesma semana. Na noite desta quarta-feira, dois homens arremessaram um artefato explosivo na Casa do Mago, no Humaitá. Os bandidos, que estavam em uma moto, conseguiram fugir antes da chegada da polícia. Ninguém ficou ferido.

Casa do Mago foi atacada duas vezes nesta semana Google Maps

Segundo a PM, o responsável pelo local foi levado para prestar depoimento na 10ª DP (Botafogo) nesta noite. O DIA tentou entrar em contato com algum representante da Casa do Mago, mas ninguém foi localizado.

De acordo com a Polícia Civil, a delegacia instaurou um procedimento para investigar o caso e o esquadrão antibombas já periciou o local. A polícia informou ainda que as investigações estão em andamento.

Na última segunda-feira, dois homens atearam fogo na casa. Câmeras de segurança flagraram o momento em que um deles, que estava encapuzado, esvaziou um galão com líquido inflamável no imóvel. Depois, outro suspeito, de boné, incendeia o local. 

Em nota, a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDHMI) repudiou os ataques e qualquer tipo de hostilização, perseguição, preconceito e discriminação religiosa. "Os recentes ataques a templos religiosos ocorridos no Rio de Janeiro, como a tentativa de incêndio da Casa do Mago, na Zona Sul da capital fluminense, são indicativos de que a intolerância religiosa deve ser combatida de forma veemente e eficaz. Apenas no último ano, foram registrados através do Disque 100, 79 denúncias de casos de intolerância religiosa no estado. O número representa um crescimento de 119%, quando comparado ao ano anterior", completou.

A SEDHMI reforçou ainda que está em contato com a Polícia Civil para mais esclarecimentos e acompanhamento do caso. "A Secretaria de Direitos Humanos oferece assistência psicológica, social e jurídica às vítimas de intolerância religiosa no Rio de Janeiro. Denúncias de intolerância religiosa podem ser feitas para Superintendência de Igualdade Racial e Diversidade Religiosa através do telefone (21) 2334 5540", informou.

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie