Ator alega ter apanhado por racismo

Por

A Prefeitura de São Paulo determinou o afastamento de funcionários que trabalhavam no Terminal Parque Dom Pedro II na madrugada de quarta-feira, quando um ator negro foi agredido e roubado por um grupo. Diogo Cintra, de 24 anos, diz que pediu ajuda para vigilantes e que eles negaram socorro por racismo.

A SPTrans, responsável pelo terminal de ônibus, determinou o "imediato afastamento" dos funcionários do turno. "A SPTrans reitera repudiar com veemência quaisquer atos de agressões e de racismo", frisa.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública disse que a vítima será ouvida nos próximos dias. "As imagens do terminal estão sendo analisadas para a identificação dos autores".

O ator saiu de uma balada no Centro por volta das 5h e seguia para casa quando foi abordado por dois homens. Cintra reagiu e tentou se abrigar no terminal, onde pediu ajuda a seguranças. Mas os criminosos chegaram em seguida, com comparsas, e alegaram que o ator os atacara. "Assumindo logo de cara que eu era o culpado, o segurança me entregou pros caras, que me arrastaram para fora da estação, e lá do lado de fora eu fui espancado por eles."

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários