Presidente da Bayer denuncia racismo sofrido por amigo em entrevista de emprego

'Quando o entrevistador viu sua origem étnica, disse à pessoa de RH que ele não sabia deste detalhe e que não entrevistava negros', contou Theo van der Loo em seu perfil no Linkedin

Por O Dia

Rio - O presidente da indústria farmacêutica Bayer no Brasil, Theo van der Loo, denunciou em seu perfil na rede social Linkedin, no último sábado, uma "história inaceitável e revoltante", como ele mesmo classificou. Um conhecido do executivo, de origem afrodescendente, sofreu racismo durante uma entrevista de emprego, que aconteceu no dia anterior.

O post de Theo Van der Loo%2C presidente da Bayer no Brasil%2C repercutiu no LinkedinReprodução/LinkedIn

De acordo com Loo, o amigo em questão tinha "excelente formação e currículo", mas no momento da entrevista, ouviu da pessoa com quem iria conversar que ele "não entrevistava negros".

O CEO continua o relato, dizendo que sugeriu à vítima fazer uma denúncia. A resposta surpreendeu o executivo. "Pensei, mas achei melhor não fazer, pois posso queimar minha imagem", justificou o candidato ofendido pelo entrevistador.

Engajado

Em 2015, Theo van der Loo conquistou o prêmio de personalidade de 2015 na categoria 'Melhor Estímulo à Ação Afirmativa", graças ao programa de diversidade aplicado na Bayer, onde é CEO desde janeiro de 2011. A premiação é feita pelo Fórum São Paulo Diverso, formado pela Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial (SMPIR), em conjunto com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Últimas de Brasil