Ciro ataca Bolsonaro, que mira em Alckmin

a

Por

Em palestra em São Paulo, o candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) criticou o adversário Jair Bolsonaro (PSL) e pediu que "o Brasil não cometa esse suicídio coletivo" (elger o capitão). Ciro voltou a explicar as bases do projeto 'Nome limpo'. Segundo ele, bancos refinanciarão com desconto as dívidas, que na média são de R$ 4,2 mil, em até 36 vezes. O endividado terá um fiador. "Se as famílias não consomem, comércio não vende. Se comércio não vende, indústria não produz", afirmou o candidato. "No Brasil, tudo que é para pobre é uma polêmica infernal. É muito mais simples de fazer do que de entender", disse.

Bolsonaro, por sua vez, reagiu à propaganda em que aparece xingando mulheres exibida na TV pelo tucano Geraldo Alckmin.

BOLSONARO REAGE A ALCKMIN

Em conversa com jornalistas, o deputado disse que os ataques são "falácias". "Ele defende mulher? Mas desvia verba da merenda escolar", afirmou, em referência a denúncias na área da Educação durante os governos de Alckmin. Bolsonaro lembrou que está na frente do ex-governador em São Paulo. "Perder de mim no estado é uma vergonha".

Já Alckmin, ontem, rejeitou o ex-aliado e senador Aécio Neves, candidato a deputado federal em Minas Gerais. "Não vou fazer campanha junto com ele", disse.

 

Comentários

Últimas de Brasil