Lista de inscrição para audiência de Moro causa embate entre governo e oposição

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Felipe Francischini (PSL-PR), quer cancelar a pré-lista feita pelos primeiros parlamentares que chegaram para audiência na manhã desta terça

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro
Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro -
Brasília - A presença do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, em audiência na Câmara dos Deputados já acirrou os ânimos entre governistas e opositores antes mesmo do início da sessão. O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Felipe Francischini (PSL-PR), quer cancelar a pré-lista feita pelos primeiros parlamentares que chegaram para audiência na manhã desta terça-feira.
"Eu quero garantir que não seja um massacre", argumentou Francischini a alguns deputados do PSL defensores da pré-lista. A manobra evitaria que Moro ficasse sujeito a uma sequência de perguntas de deputados de partidos como PT, PSOL e PCdoB, que são maioria na pré-lista. Dos 100 primeiros inscritos no documento informal, cerca de 70 parlamentares são da oposição.
O ministro Sergio Moro será o primeiro a falar. Inicialmente, ele terá 20 minutos para uma exposição. Logo em seguida, o presidente da CCJ inicia a lista de inscritos. Cada deputado terá o direito a falar por três minutos. Líderes também poderão se inscrever a qualquer momento e o tempo será proporcional à representação do partido, de três a dez minutos. Em cada bloco de perguntas falam três deputados e um líder. Moro terá sete minutos para responder.
Audiência

Moro vai ser ouvido nesta terça em audiência conjunta de quatro comissões: Constituição e Justiça, Trabalho, Direitos Humanos e Fiscalização Financeira e Controle. O principal tema será as supostas conversas divulgadas pelo site The Intercept Brasil no período em que ele ainda julgava os casos da Operação Lava Jato.

Comentários