Glenn divulga conversa em que suposta fonte nega ter invadido Telegram de Moro

Jornalista do The Intercept Brasil alega que sua fonte não foi responsável por hackear o telefone celular do ministro da Justiça e de outras autoridades

Por iG

Glenn Greenwald é um dos fundadores do The Intercept Brasil, site responsável pelos vazamentos de conversas entre Sergio Moro e procuradores da Lava Jato
Glenn Greenwald é um dos fundadores do The Intercept Brasil, site responsável pelos vazamentos de conversas entre Sergio Moro e procuradores da Lava Jato -
São Paulo - O jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil , divulgou, nesta sexta-feira (26), um trecho de uma conversa com a suposta fonte responsável por compartilhar mensagens particulares do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro e de procuradores da Operação Lava Jato.
Essa foi a primeira vez que Glenn mostrou sua conversa com a fonte, que é mantida sob sigilo. No trecho divulgado pelo jornalista, o suposto hacker garante que não foi responsável pela invasão do Telegram de Moro e ainda debochou dos outros invasores, chamando-os de amadores.

A conversa, que foi divulgada pela revista Veja , começa com Glenn perguntando se a fonte viu a notícia de que o celular do ministro teria sido hackeado. "Vi agora", responde o suposto hacker , que ainda pede "cautela" ao jornalista. "Com isso a massa vai ficar quente". 
Depois, a fonte de Glenn nega qualquer participação na invasão. "Posso garantir que não fomos nós. Nunca trocamos mensagens, apenas puxamos", explica. "Senão ia ficar muito na cara", justifica.
Na última mensagem compartilhada por Glenn , o suposto hacker ainda critica a nova invasão. “Nós não somos ‘hackers newbies’, a notícia não condiz com nosso modo de operar, nós acessamos telegrama com a finalidade de extrair conversas e fazer justiça, trazendo a verdade para o povo", explicou.

Comentários