SERVIÇO GRATUITO PARA CREDORES E DEVEDORES

Na comparação com março de 2017, quando 4,622 milhões de pessoas jurídicas desse porte estavam inadimplentes, o índice teve crescimento de 8,9%

Por O Dia

-

Passou de 5 milhões o número de micro e pequenas empresas brasileiras com dívidas atrasadas no Brasil. Esse recorde histórico foi registrado em março de 2018, segundo relatório da Serasa Experian. Na comparação com março de 2017, quando 4,622 milhões de pessoas jurídicas desse porte estavam inadimplentes, o índice teve crescimento de 8,9%. Mesmo que você não seja um desses 5 milhões... continue lendo!

Nesses tempos difíceis, vale a pena micro e pequenos empreendedores conhecerem o Recupera PJ (www.serasarecupera.com.br), serviço online da Serasa Experian que permite às empresas renegociarem diretamente suas dívidas atrasadas. Os devedores podem se cadastrar no site e acessar a página onde estão lá relacionados os credores participantes, com os quais se tem em aberto alguma conta que esteja na base de dados da Serasa. A ferramenta lista mais de 2 mil credores, de diversos portes ou segmentos, e oferece um ambiente ágil e seguro para o fechamento de acordos. Com isso, mais devedores podem sair do vermelho, retomar o acesso ao crédito e refinanciar o crescimento dos seus negócios e atividades.

Outro serviço que merece atenção dos micro e pequenos é o Serasa Empreendedor (www.serasaempreendedor.com.br). Ele também possui uma plataforma com diversos acessos gratuitos e autoexplicativos específicos para esse segmento. Há ainda uma ferramenta de simulação e contratação de crédito 100% digital além de dicas, orientações e vídeos personalizados. A página traz também um teste, que ajuda a descobrir qual o perfil do empreendedor, considerando os tipos mais predominantes no país: Arrojado, Autônomo, Realizador e Malabarista.

Na avaliação dos economistas da Serasa Experian, os dados sinalizam que a inadimplência no segmento micro e pequenos tende a reverter o ciclo de altas sucessivas, devendo se estabilizar. As taxas de juros em níveis reduzidos são um dos principais incentivos na busca por renegociação. E as oportunidades do Recupera PJ são um bom começo quem sabe para um final feliz.

Ágil, fácil e perigoso

Se 5 milhões de inadimplentes preocupam muita gente... empréstimos para negativados preocupam muito mais! Infelizmente, segundo outro relatório, essa foi a alternativa para 16% dos inadimplentes limparem seus nomes. Tipo de crédito ao mesmo tempo ágil, fácil e perigoso, mas que tem se popularizado por meio de propagandas maciças, os empréstimos para negativados são uma alternativa a que muitos consumidores inadimplentes recorrem como última saída para honrar compromissos em atraso uma espécie de cadáver te sorrindo e querendo te abraçar.

 

Sistema não tem proteção

Esses 16% dos pesquisados que estão ou estiveram com o CPF restrito nos últimos 12 meses e admitiram ter procurado instituições financeiras que "socorrem" negativados foram detectados num levantamento feito em todas as capitais brasileiras.

O relatório foi coordenado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). O documento revela também que o número sobe para 21% quando se trata dos consumidores inadimplentes das classes A e B. Indagados sobre o porquê de terem contratado esse tipo de empréstimo que de modo geral não faz consultas em serviços de análise, proteção ou prevenção de crédito três em cada 10 pessoas (29%) disseram que foi a "única maneira" que encontraram para quitar suas dívidas. Outros 27% justificaram a "rapidez do processo" para limpar o nome. E 25% argumentaram que "não conseguiram obter crédito" em bancos convencionais.

 

Juros são mais elevados

Deixo vocês com o alerta da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti: "De olho nesse mercado de milhões de inadimplentes, muitos bancos e financeiras se especializaram em conceder crédito para quem está negativado. Como é um tipo de empréstimo concedido de forma ágil e que exige o mínimo de burocracia, os juros cobrados nessa modalidade costumam ser elevados, o que requer maiores cuidados dos consumidores, que na urgência de contrair uma dívida para quitar outra, podem se atrapalhar ainda mais e ver suas dívidas se tornarem praticamente impagáveis". Ou seja, numa situação posterior pior do que a situação anterior.

Bom Domingo e Boa Sorte!

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários