Terceirização volta à pauta do STF

Na sessão desta quarta, o ministro Gilmar Mendes deu voto favorável à medida, afirmando que "não faz qualquer sentido manter as amarras de um modelo verticalizado"

Por O Dia

Supremo Tribunal Federal
Supremo Tribunal Federal -

Rio - Com placar de cinco votos a favor e quatro contra, o Supremo Tribunal federal adiou para hoje a votação da terceirização irrestrita, que propõe que empresas possam terceirizar todas as atividades de trabalho, incluindo as atividades-fim.

Na sessão de ontem, o ministro Gilmar Mendes deu voto favorável à medida, afirmando que "não faz qualquer sentido manter as amarras de um modelo verticalizado".

Já o ministro Marco Aurélio votou contra a terceirização, e salientou a proteção aos direitos trabalhistas.

A questão tramita desde 2017, quando foram sancionadas leis (Lei da Terceirização e Reforma Trabalhista) que autorizam a terceirização irrestrita.

O adiamento ocorreu devido a posse da nova presidência do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Comentários

Últimas de Economia