Castello Branco: Petrobras teve perda zero com adiamento do ajuste do diesel

No dia 11 de abril a empresa elevou o preço teto do combustível em 5,7%

Por ESTADÃO CONTEÚDO, Estadão Conteúdo

Presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco
Presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco -

Brasília - O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, informou em coletiva nesta quarta-feira que a estatal não teve prejuízo com o adiamento do reajuste do preço do diesel. Muito pelo contrário, ele afirmou que o ajuste máximo pôde ser menor justamente porque o frete marítimo, um dos componentes do preço do diesel, caiu desde o dia 11 de abril.

"A Petrobras teve perda zero com o adiamento do ajuste do diesel, por que temos hedge e o preço do frete marítimo caiu", disse a jornalistas em encontro para explicar o reajuste do combustível.

No dia 11 de abril a Petrobras elevou o preço teto do combustível em 5,7%, passados seis dias, ajustou o preço máximo em 5,1%. "Não só não perdemos como ganhamos um pouco", ressaltou Castello Branco.

Comentários

Castello Branco: Petrobras teve perda zero com adiamento do ajuste do diesel O Dia - Economia

Castello Branco: Petrobras teve perda zero com adiamento do ajuste do diesel

No dia 11 de abril a empresa elevou o preço teto do combustível em 5,7%

Por ESTADÃO CONTEÚDO, Estadão Conteúdo

Presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco
Presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco -

Brasília - O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, informou em coletiva nesta quarta-feira que a estatal não teve prejuízo com o adiamento do reajuste do preço do diesel. Muito pelo contrário, ele afirmou que o ajuste máximo pôde ser menor justamente porque o frete marítimo, um dos componentes do preço do diesel, caiu desde o dia 11 de abril.

"A Petrobras teve perda zero com o adiamento do ajuste do diesel, por que temos hedge e o preço do frete marítimo caiu", disse a jornalistas em encontro para explicar o reajuste do combustível.

No dia 11 de abril a Petrobras elevou o preço teto do combustível em 5,7%, passados seis dias, ajustou o preço máximo em 5,1%. "Não só não perdemos como ganhamos um pouco", ressaltou Castello Branco.

Comentários