Copom mantém taxa de juros em 6,5% ao ano

Selic não é alterada pela nona vez seguida pelo Banco Central

Por

Mesmo com pequena redução de juros, consumidor deve aproveitar para negociar dívidas
Mesmo com pequena redução de juros, consumidor deve aproveitar para negociar dívidas -
Rio - O Banco Central não alterou os juros básicos da economia pela nona vez seguida. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa Selic em 6,5% ao ano nesta quarta-feira. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.
Com a decisão, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Cent Agência Brasil  ral, em 1986. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Em outubro de 2016, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,5% ao ano em março de 2018.
A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em março, o indicador fechou em 4,58% no acumulado de 12 meses. O índice subiu pressionado por alimentos e transportes. O IPCA de abril só será divulgado em 10 de maio.
Para 2019, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabeleceu meta de inflação de 4,25%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual. O IPCA, portanto, não poderá superar 5,75% neste ano nem ficar abaixo de 2,75%. A meta para 2020 foi fixada em 4%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual.
 
Com informações da Agência Brasil
 

Galeria de Fotos

BC informou que ofertará até US$ 2,15 bilhões na próxima sexta José Cruz / Agência Brasil
Mesmo com pequena redução de juros, consumidor deve aproveitar para negociar dívidas Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Comentários