Mais de 125 mil negociaram dívidas na Caixa

Campanha do banco vai durar 90 dias. Expectativa é arrecadar R$ 1 bilhão

Por MARTHA IMENES

Pedro Guimarães: iniciativa vai beneficiar 600 mil famílias
Pedro Guimarães: iniciativa vai beneficiar 600 mil famílias -
Rio - A Caixa Econômica Federal já renegociou mais de 125 mil dívidas de clientes desde que lançou uma campanha de renegociação de dívidas em maio. A campanha vai até setembro e a expectativa do banco é receber até R$ 1 bilhão em 90 dias. Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, a campanha da Caixa atinge cerca de 3 milhões de clientes que podem regularizar débitos com atraso acima de 360 dias. A renegociação é valida somente para pagamento à vista.
A redução da dívida varia de 40% a 90%, conforme o tipo de crédito contratado e o tempo de atraso. Guimarães disse que, na média, o desconto está em 82,78%. Ainda de acordo com Guimarães, a média dos pagamentos até agora é de R$ 1 mil, mas "a grande maioria" paga de R$ 500 a R$ 600. De acordo com dados do banco, dos três milhões de clientes com dívidas, mais de 2,6 milhões são pessoas físicas e cerca de 300 mil pequenas empresas que têm dívidas com o banco.
Segundo a Caixa, os focos principais do programa são de clientes de baixa renda e de pequenas e médias empresas. Os devedores possuem renda de até cinco salários mínimos (R$ 4.990). A maioria das dívidas deverá baixar para R$ 2 mil, com a renegociação, estimou Pedro Guimarães.
Além dessa campanha, que foi lançada na quarta-feira passada, a Caixa anunciou a renegociação de crédito imobiliário. Segundo o banco, a renegociação beneficia 600 mil famílias devedoras, com potencial de alcance de 2,3 milhões de pessoas. Guimarães informou que já foram feitos pedidos de renegociação referentes a 25 mil imóveis.
R$ 3 bi de volta ao Tesouro Nacional
A Caixa anunciou ontem a devolução de R$ 3 bilhões ao Tesouro Nacional. A expectativa do banco é devolver R$ 20 bilhões até o final deste ano. No total, a Caixa deve ao Tesouro R$ 40,2 bilhões. O anúncio foi feito pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.
De acordo com o ministério, os bancos públicos devem cerca de R$ 86,5 bilhões em empréstimos concedidos pelo Tesouro. Além dos R$ 40,2 bilhões da Caixa, o BNDES deve R$ 36,1 bilhões, o Banco do Brasil, cerca de R$ 8,1 bilhões, o Banco do Nordeste (BNB), R$ 1 bilhão, e o Banco da Amazônia (Basa), R$ 1,06 bilhão. Os valores das dívidas são referentes a dezembro de 2018.

Comentários