Inquilinos devem negociar aluguel

Com previsão de reajuste de 6,51% nos contratos de imóveis que vencem este mês, especialista orienta buscar acordo com proprietários

Por Marina Cardoso

No capital carioca, cerca de 40 mil unidades serão obrigadas a aderir ao sistema do governo federal
No capital carioca, cerca de 40 mil unidades serão obrigadas a aderir ao sistema do governo federal -

Rio - Contratos de aluguéis residenciais com vencimento em junho podem ter correção de 6,51%, segundo acumulado dos últimos 12 meses do IGP-M. Para o valor da locação não afetar o orçamento, especialistas orientam que inquilinos devem tentar renegociar com os proprietários.

Segundo o vice-presidente do do Sindicato da Habitação do Rio (Secovi-Rio), Leonardo Schneider, os condôminos devem procurar os donos de imóveis para chegar a um acordo. Para quem paga em dia, uma estratégia é mostrar aos proprietários o histórico de bom pagador.

"Como a procura por locação diminuiu por causa da crise e há imóveis vagos, para o dono da unidade é interessante continuar com ela alugada. Por isso,vale renegociação para encontrar um ponto em comum", afirma.

Para facilitar o cálculo do novo aluguel, o Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) divulgou fator de atualização que será de 1,0651. Assim, para um aluguel de R$ 1.500, por exemplo, que vigorou até junho, o condômino deve multiplicar R$ 1.500 por 1,0651. O reajuste será de R$ 1.597,65, que será o valor que deverá ser pago a partir do fim de julho ou início de agosto.

Em junho, houve aumento de 0,80% no IGP-M, percentual superior ao apurado em maio, quando a taxa foi de 0,45%. Com este resultado, o indicador acumula alta de 4,38% no ano.

Dados do Índice FipeZap de Locação Residencial mostram que houve queda no preço nos últimos 12 meses no Município do Rio. Foi registrado decréscimo de 1,89%. Foi a única capital monitorada que manteve recuo do preço médio do aluguel residencial em um ano.Niterói também apresentou diminuição, de 0,04% no último ano. No Rio,o preço do metro quadrado custou R$ 30,67/m², enquanto que em Niterói o valor registrou R$ 19,81/m².

O vice-presidente do Secovi-Rio ressalta que o momento é favorável para o aluguel de imóveis. "O valor caiu cerca de 40% nos últimos quatro anos no Rio. O mercado tem se comportado totalmente diferente. Há um incentivo para quem quer alugar, devido ao acúmulo de empreendimentos vagos", explica Schneider.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários