Ministro diz que tem 330 votos para aprovar reforma

Governo espera votar proposta de emenda que muda a Previdência na quarta-feira

Por MARTHA IMENES

Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni
Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni -

No que depender da avaliação do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, a Reforma da Previdência, em discussão no Congresso, será aprovada rapidamente. Ontem o ministro assegurou que as contas do governo apontam para cerca de 330 votos favoráveis à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 6, que trata da reforma e muda o sistema previdenciário brasileiro. Cabe ressaltar que a proposta, entre outras coisas, cria idade mínima para aposentadoria, sendo 62 anos para mulheres e 65 anos para homens, muda o tempo de contribuição, e limita recebimento de aposentadoria e pensões.
"Tem um cálculo realista, com pé bem no chão, e a gente caminha para ter algo em torno de 330 (votos), que poderá ser até mais do que isso. É uma margem que a gente acredita ser possível", disse ele após reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).
Por se tratar de uma PEC, a reforma precisa angariar o voto favorável de ao menos 308 dos 513 deputados, em dois turnos de votação.
O governo espera que a votação do texto ocorra depois de amanhã. "A ideia é que já na terça-feira (amanhã) comece a tratar da reforma no plenário da Câmara. Isso nos daria a tarde e a noite de terça e quarta inteira para que a gente possa ter todas as discussões e ter a votação em primeiro turno, se tudo correr bem, na quarta-feira", disse Onyx.
TOMA LÁ, DÁ CÁ
O governo Jair Bolsonaro (PSL) liberou no ultimo dia 26 lotes extras de emendas a deputados que aceitarem votar a favor da reforma da Previdência. Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, vários parlamentares confirmaram que serão R$ 10 milhões a mais por congressista que apoiar o governo na comissão especial da Câmara e outros R$ 10 milhões extras no plenário.
O extra foi acertado com os parlamentares há cerca de um mês pelo ministro Lorenzoni como moeda de troca pelo apoio dos congressistas. O acesso aos recursos se dá por meio da abertura do sistema digital, onde congressistas podem direcionar verbas do orçamento para seus nichos eleitorais.
Cada parlamentar já tinha direito a apesentar R$ 15,4 milhões em emendas ao Orçamento de 2019, que é um valor de execução impositiva, em quase sua totalidade.

Discurso mais que alinhado
Assim como o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também avalia que o processo de votação da Reforma da Previdência no plenário da Casa deve começar amanhã e acredita em aprovação da matéria por uma boa margem, mas evitou dar números.
"A partir de segunda começo a conversar com os líderes para ter noção da presença dos deputados e deputadas, fazemos o debate na terça o dia inteiro... e a partir do final da parte da tarde de terça-feira acho que começa o processo de votação", disse.
"Acho que ficar falando de números não é bom, temos a nossa conta. Temos que ter a tese de que o importante é ganhar, então vamos ganhar com uma boa margem para uma matéria que até um ano atrás era muito difícil de chegar nesse momento com uma perspectiva de vitória", completou.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários