Investimentos em infraestrutura devem gerar 20 mil empregos no Rio

Revitalização de dez distritos industriais servirá para atrair empresas

Por Larissa Esposito*

Distrito Industrial de Queimados
Distrito Industrial de Queimados -

Rio - O processo de revitalização da infraestrutura de dez distritos industriais do Rio, que terá início nos próximos meses, deve resultar em cerca de 20 mil empregos nos próximos anos, segundo Fábio Galvão, presidente da Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin). As obras terão investimento total previsto de R$ 40 milhões, que serão revertidos para implantação e restauração de pavimentos, melhorias nas redes de drenagem pluvial, de saneamento, na iluminação e sinalização das rodovias dos distritos. Com as novas condições dessas áreas, a companhia e a Fundação Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Rio (DER-RJ), parceiros na empreitada, esperam que empresas sejam atraídas para investir no estado.

Alguns setores já têm demonstrado interesse nas ações, de acordo com Galvão. Entre eles, os de bebida e alimentação, metalurgia e mecânica. As intervenções em infraestrutura serão feitas nos distritos de Campo Grande, Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Macaé, Paciência, Palmares, Santa Cruz, Queimados, Três Rios e São João da Barra.

"As obras terão início em Queimados, onde já temos três mil trabalhadores. Com a revitalização e a instalação de novas indústrias nos terrenos disponíveis, deve gerar mais dois mil empregos apenas nesse distrito", exemplifica Galvão.

Mas para chegar a esse número, o trânsito e a mobilidade nessas áreas, que serão asfaltadas, devem ter prioridade. São os fatores que influenciam no custo logístico e que consolidam o desenvolvimento. Segundo Galvão, junto de incentivos fiscais, é o que vai atrair mais investimentos para o Rio.

 

Arrecadação de R$ 14,8 bi

A expectativa para a arrecadação do Estado do Rio nos royalties da extração de petróleo é de R$14,8 bilhões em 2020. O valor representa aumento de 10% na previsão de receber R$13,4 bilhões até o fim deste ano.

Em 2019, foram arrecadados R$10,4 bilhões, excluindo R$2,3 bilhões esperados pelo leilão do excedente na cessão onerosa, a ser promovido em 6 de novembro. Os números previstos são da Secretaria Estadual de Fazenda.

A pasta divulgou que "todo o montante que o Rio recebe de royalties, após as deduções constitucionais e legais, é destinado ao Rioprevidência."

Dois exemplos dessas deduções obrigatórias são o Pasep e o Fundo Estadual de Investimentos e ações de Segurança Pública e Desenvolvimento social (Fised).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários