Saque em dinheiro do auxílio começa hoje

Calendário de retirada dos R$ 600 considera mês de nascimento dos trabalhadores

Por Marina Cardoso

Caixa Econômica
Caixa Econômica -

A Caixa Econômica Federal libera a partir de hoje em suas agências a retirada em dinheiro do auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais. Para isso, o banco preparou um calendário para o saque do retirada em espécie baseado no mês de nascimento dos beneficiados. De acordo com a Caixa, o saque será liberado dessa forma para evitar aglomerações nas agências e unidades lotéricas, evitando expor empregados e clientes ao risco de contágio do coronavírus. Vale lembrar que quem indicou conta bancária anterior ou vai receber os R$ 600 em substituição ao Bolsa Família, não tem restrição para saque do auxílio emergencial.

Hoje, o saque poderá ser feito pelos trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro. Já amanhã, dia 28, será a vez dos nascidos em março e abril, enquanto os aniversariantes de maio e junho podem fazer o saque do dinheiro na quarta-feira, dia 29. Já no último dia deste mês, os nascidos em julho e agosto poderão fazer a retirada da renda básica de R$ 600.

No mês que vem, no dia 4 de maio, é a vez dos trabalhadores de setembro e outubro e, por fim, no dia 5, os nascidos nos meses de novembro e dezembro.

O dinheiro da renda emergencial poderá ser retirado sem a necessidade de cartão em casas lotéricas, caso elas estejam abertas, e em caixas eletrônicos. A Caixa lembra ainda que os recursos creditados na poupança digital referentes ao auxílio emergencial podem ser utilizados por meio do aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos e contas domésticas.

Também é possível fazer transferências ilimitadas para contas da Caixa. O sistema permite até três transferências mensais gratuitas para outros bancos nos próximos 90 dias.

INFORMAÇÕES PELO APP

Vale ressaltar que a prestação de informações sobre cadastro e pagamento do auxílio emergencial está disponível apenas por meio do aplicativo, do site auxilio.caixa.gov.br e da central telefônica de atendimento exclusivo pelo número 111, que está disponível para os trabalhadores tirarem dúvidas sobre a renda básica.

Até a última quinta-feira, 45,9 milhões de cidadãos haviam se cadastrado para recebimento do benefício emergencial do governo federal. O site superou a marca de 275,5 milhões de visitas e a central 111 registra mais de 68,6 milhões de ligações.

Nova solicitação pode ser feita se pedido for negado

Quem teve o auxílio emergencial de R$ 600 negado pode contestar o resultado e fazer nova solicitação diretamente pelo aplicativo "Caixa | Auxílio Emergencial" ou site do programa. A atualização nas plataformas foi feita semana passada.

No aplicativo ou no site, quem receber o aviso de "benefício não aprovado" pode verificar o motivo e contestar. Se o aviso for de "dados inconclusivos", deve fazer logo a correção das informações e entrar com nova solicitação.

Segundo a Caixa, as principais inconsistências nos dados são: marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro, falta de inserção da informação de sexo, inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento, divergência de cadastramento entre membros da mesma família e inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

Para ter direito ao auxílio é preciso atender aos critérios estabelecidos pela legislação, como não ter emprego formal, não receber outro benefício do governo (com exceção do Bolsa Família), não ter renda familiar mensal maior que R$ 3.135 ou R$ 522,50 per capita (por pessoa), entre outros. As condições completas são descritas no site do programa.

A responsável por informar o motivo do auxílio emergencial não ter sido aprovado é a Dataprev, que analisa os dados. O resultado é depois homologado pelo Ministério da Cidadania.

Comentários