Abertura gradual começou dia 14 de setembro. Apesar dos alertas, INSS bancou a reabertura mesmo sem perícia médica. Resultado? Caos - Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Abertura gradual começou dia 14 de setembro. Apesar dos alertas, INSS bancou a reabertura mesmo sem perícia médica. Resultado? CaosReginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Por MARTHA IMENES
A novela da reabertura gradual dos postos do INSS, mesmo sem perícia médica, ganhou mais um capítulo ontem: a partir de segunda-feira a Associação Nacional de Médicos Peritos vai realizar vistorias nas Agências da Previdência Social (APS) e somente as que forem consideradas aptas terão as perícias médicas restabelecidas imediatamente.
 
Questionado pelo jornal O DIA, pelos motivos que levaram a associação a realizar as vistorias, Francisco Eduardo Cardoso Alves, vice-presidente da ANMP, chamou atenção para a falta de diálogo do governo. "O governo rompeu o diálogo com a associação e partiu para ameaça, quer resolver as coisas na base da caneta", afirma Francisco Eduardo Cardoso Alves, vice-presidente da ANMP.

"Nós resolvemos fazer esta vistoria porque já deu uma semana (da reabertura dos postos do INSS) e o governo está brincando com a vida das pessoas. No meio dessa semana houve um surto de covid numa agência de Blumenau (SC) que atingiu três pessoas, sendo um servidor, um vigilante e uma funcionária da limpeza. Isso porque a APS (Agência da Previdência Social) estava vazia, sem perícia. Essa foi uma das agências que o governo considerou apta para o retorno. Imagina se estivesse lotada?", questionou.

"A população está refém de gestores irresponsáveis. Nós queremos voltar ao trabalho, mas com segurança para segurados e servidores", acrescenta Francisco Alves. E complementa: "Já que o governo não quer fazer a parte corretamente, nós vamos fazer. Nós somos servidores públicos, nós temos a competência técnica e o próprio governo desafiou a associação a fazer a vistoria técnica, então nós vamos fazer".

"Iremos usar o mesmo checklist original utilizado pelo próprio governo em 8 e 9 de setembro como referencial, e não iremos considerar o checklist fraudulento produzido pela Secretaria de Previdência e o INSS nessa semana", informou a associação em nota.

"A agência que for aprovada pela vistoria do INSS e não passar na nossa vistoria, não terá perícia", adverte. "E se for preciso iremos à Justiça para garantir o direito à segurança sanitária de segurados e de servidores", afirma o vice-presidente da associação. Ele finaliza afirmando que nas agências que forem consideradas aptas pela ANMP, o retorno será imediato.

A entidade informou ainda que "tanto o INSS como a imprensa serão notificados dos dias e horários das inspeções para enviarem representantes para acompanhamento, caso queiram".
Francisco Alves: 'Já que o governo não faz a parte dele, nós vamos fazer' - Reprodução Youtube
Publicidade

Na capital, três postos foram vistoriados pelo INSS
As vistorias do INSS - e não da ANMP -chegaram aos postos da capital. Ontem as agências Praça da Bandeira, Méier (Rua Aristides Caire), e Av. Brasil, localizada em Irajá, foram aprovadas para o retorno do atendimento da perícia médica.

Em nota, o INSS informa que no Estado do RJ, 11 unidades de atendimento já passaram por nova inspeção e foram consideradas aptas para o retorno. São elas: Macaé, Paracambi, Araruama, Cabo Frio, São Pedro da Aldeia, Itaboraí, Niterói - Bairro de Fátima, São Gonçalo - Paraíso.
"O INSS esclarece ainda que só estão sendo vistoriadas novamente, as agências que realizam atendimento de perícia médica", diz a nota.

É importante destacar que os postos que retornaram com atendimento presencial na última segunda-feira estão funcionando apenas com atendimentos agendados pelo Meu INSS ou central 135.


Natalícia Correia, com o filho Paulo César, na Praça da Bandeira - Cléber Mendes

Instituto restabelece benefício de aposentada
Lembram da senhorinha que teve a aposentadoria suspensa quando foi dar baixa na pensão do marido e requerer a pensão por morte que o jornal O DIA mostrou na edição do dia 15? Pois bem, a aposentada Natalícia Correia dos Santos, de 86 anos, moradora de Duque de Caxias, já pode respirar aliviada!

O INSS identificou o erro no requerimento e ela já vai poder pagar o aluguel em atraso com o dinheiro da aposentadoria que havia sido suspensa.

A idosa foi mais uma das pessoas que tentou atendimento, em vão, no posto Praça da Bandeira. À reportagem, a idosa lamentou: "Estou sem receber desde junho, meu aluguel está atrasado e nem tenho mais de onde tirar dinheiro para comprar meus remédios".