A Receita deverá manter o calendário de pagamento mesmo com o adiamento
A Receita deverá manter o calendário de pagamento mesmo com o adiamentoAgência Brasil
Por O Dia
Nesta segunda-feira, a Receita Federal confirmou o adiamento do prazo de entrega da Declaração de Imposto de Renda, de 30 de abril para 31 de maio, buscando minimizar os impactos da pandemia na vida dos contribuintes. Mas afinal, o que muda para o contribuinte com a mudança no prazo?
"O adiamento na realidade muda muito pouco para quem é obrigado a entregar a declaração. Ajuda quem está com dificuldade para encontrar documentos, mas esta é a menor parcela da população, pois atualmente tudo é online e que tem imposto a pagar e quer adiar essa ação", explicou Richard Domingos, diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil.
Publicidade
Quando entregar em caso de adiamento

Mesmo com o adiamento do prazo a recomendação é que o contribuinte prepare a declaração o quanto antes. "O alongamento de prazo é importante, mas é fundamental que o contribuinte preencha esse documento o quanto antes, mesmo que faltem documentos. Isso evita erros que possam levar para a malha fina. Já a entrega pode ser feita de forma estratégica para o contribuinte", avaliou Domingos.

Ele contou que caso a pessoa tenha imposto a pagar e esteja em dificuldade financeira, o ideal é realmente entregar nos últimos dias, pois assim terá um prazo maior para se organizar financeiramente para a realização desse pagamento, contudo, nesse ponto, se teve uma alteração.

"Se o contribuinte deseja pagar o imposto devido via débito automático desde a 1ª cota, a solicitação deve ser feita até o dia 10 de maio. Caso envie a declaração após esta data deverá pagar a 1ª cota por meio de DARF, gerado pelo próprio programa, sem prejuízo do débito automático das demais cotas", detalhou. 

Se não for feita a opção pelo débito automático, os DARFs podem ser emitidos pelo programa ou pelo Extrato da Declaração, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), acessado através do site da Receita Federal.

Imposto a Restituir

Já para que tem imposto a restituir, a Receita deverá manter o calendário de pagamento mesmo com o adiamento. Também deverá ser mantida a redução de sete para cinco lotes nas restituições deste ano. Veja como será o calendário da restituição do IRPF em 2021:

• 1º lote: 31 de maio de 2021.

• 2º lote: 30 de junho de 2021.

• 3º lote: 30 de julho de 2021.

• 4º lote: 31 de agosto de 2021.

• 5º lote: 30 de setembro de 2021.

Assim, o diretor da Confirp reforçou que antecipar a entrega também é muito interessante para quem tem dinheiro a receber, ou seja, imposto a restituir. "Entregando o quanto antes a declaração, a chance de receber esse valor nos primeiros lotes é maior, e muita gente está necessitado desse dinheiro".

Vantagens de entregar antes

1. Contribuintes que possuem Imposto a Restituir e estão necessitando de recursos financeiros receberão logo nos primeiros lotes;

2. Se livra do compromisso e do risco de perda do prazo;

3. Possuir mais tempo para ajustes da declaração.

Vantagem em entregar nos últimos dias:

1. Quem tem que pagar para a Receita valores de impostos terá como melhor planejar o caixa para esse pagamento, pois postergará o prazo.