Corpo de Gabrielly foi encontrado preso em árvore
 - Reprodução Facebook
Corpo de Gabrielly foi encontrado preso em árvore Reprodução Facebook
Por O Dia
Publicado 16/01/2018 09:05 | Atualizado 16/01/2018 09:30

São Paulo - A Polícia Civil concluiu na manhã desta terça-feira que Gabrielly Teixeira de Oliveira, de 20 anos, encontrada morta em um condomínio de luxo em Bertioga, no litoral paulista, se enforcou. Deste modo, a hipótese de homicídio foi afastada, inocentando o namorado da jovem, antes tratado como suspeito.

O corpo de Gabrielly foi encontrado por moradores do condomínio no último dia 6. Ela estava pendurada em uma árvore, com uma corda no pescoço, porém, não estava suspensa, o que fez as autoridades acreditarem que a cena poderia ter sido forjada para acobertar um homicídio.

Durante a fase inicial da investigação, a Polícia Civil foi informada pelos médicos legistas do Instituto Médico Legal (IML) de Bertioga que Gabrielly havia morrido por asfixia e que não havia qualquer outro tipo de trauma em seu corpo. O desaparecimento da jovem durante seis dias e o fato de que nenhuma pessoa registrou o caso na delegacia também intrigou os investigadores.

Na última semana, o advogado do namorado da jovem levou às autoridades áudios de conversas entre o casal na tentativa de provar a inocência de seu cliente. Porém, o delegado responsável pela investigação, Sérgio Nassur, afirmou que as "provas" eram irrelevantes, por não esclarecer qualquer dúvida sobre o caso.

Gabrielly Teixeira desapareceu após brigar com o namorado durante uma festa de Réveillon, no dia 31 de dezembro. Testemunhas disseram ter visto a jovem pela última vez na manhã do dia 1º. Segundo o namorado, ele não havia feito contato com a polícia por acreditar que ela estivesse na casa de uma amiga, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, o que já teria acontecido por outras vezes.

Você pode gostar
Comentários