Lula em ato com artistas e intelectuais no Rio de Janeiro no Oi Casa Grande - Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Lula em ato com artistas e intelectuais no Rio de Janeiro no Oi Casa GrandeRicardo Stuckert/Instituto Lula
Por O Dia
Publicado 18/01/2018 11:05 | Atualizado há 3 anos

Diante de uma plateia de cerca de mil apoiadores, majoritariamente da área da cultura, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu em evento na terça-feira, no Rio, que a Justiça Federal em Porto Alegre fez "leitura dinâmica" da sentença do juiz Sérgio Moro, que o condenou no processo do triplex do Guarujá (SP).

"Não posso falar dos juízes de Porto Alegre, não conheço. Mas acho estranho que tenham dito que a sentença do Moro é irretocável, sem ler. Leram não-sei-quantas mil páginas em poucos dias. Mas tem a leitura dinâmica", ironizou o ex-presidente, no evento “em defesa da democracia e de Lula” realizado no Teatro Oi Casa Grande, no Leblon. Antes, na porta do teatro, foi realizado um pequeno protesto que pedia “Lula na cadeia já”.

Lula afirmou ainda que seus opositores "querem transformar o Brasil no Caldeirão do Huck", numa referência ao apresentador da TV Globo Luciano Huck, apontado como possível candidato à presidência, o que o próprio já descartou.

Na ocasião, o ex-presidente voltou a criticar o juiz federal Sérgio Moro: "Juízes com o comportamento dele deveriam ser exonerados." Também foi alvo de críticas o presidente do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), Thompson Flores. Lula destacou que o desembargador que preside a Corte de apelações da Lava Jato é trineto de um general que morreu na guerra de Canudos, uma ofensiva do Exército contra a comunidade no interior da Bahia, em 1896.

"O que me chama atenção é que esse cidadão vai a Brasília pedir proteção na Suprema Corte sem explicar quem está ameaçando. Porque, veja, se tiver ameaça, tem que pedir proteção, mas diga quem está ameaçando. Aliás, esse cidadão, ele é bisneto (sic) do general Flores, que invadiu Canudos e matou Antônio Conselheiro. É da mesma linhagem. Então, quem sabe ele esteja me vendo como um cidadão de Canudos e queira acabar com minha viagem", ponderou.

Entretanto, Thompson não faz parte do colegiado que decidirá o futuro do petista. Os recursos de Lula e de outros seis réus do processo do triplex serão julgados pelos desembargadores da 8.ª Turma da Corte federal - João Pedro Gebran Neto, Victor Laus e Leandro Paulsen,

O ex-presidente insistiu nas críticas à condução, por Thompson, do episódio sobre as ameaças que desembargadores vêm recebendo às vésperas de seu julgamento. O trisavô de Thompson, Tomás Thompson Flores, é citado em "Os Sertões", de Euclides da Cunha, e foi coronel na guerra de Canudos, aonde morreu.

Acompanharam Lula no palco do Casa Grande a cantora Beth Carvalho, o humorista Gregorio Duvivier, os atores Dira Paes, Chico Diaz, Herson Capri, Cristina Pereira, Bete Mendes, Antonio Pitanga e Osmar Prado, entre outros. 

Réu da Lava Jato, o petista será julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) no próximo dia 24, em Porto Alegre, no caso do triplex do Guarujá. Segundo a força-tarefa da Lava Jato, o apartamento teve reforma paga pela empreiteira OAS, que recebeu em troca vantagens indevidas. O ex-presidente nega que o imóvel seja dele.

Lula já foi sentenciado pelo juiz federal Sérgio Moro por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 9 anos e 6 meses de prisão neste processo. Caso seja condenado também na segunda instância, poderá ficar inelegível e concorrer à Presidência nas eleições de outubro, por conta da Lei da Ficha Limpa. 

 

 

Você pode gostar
Comentários