Mais Lidas

'Gente boa também mata': Campanha de trânsito gera polêmica nas redes sociais

Operação Rodovida quer chamar a atenção para cinco infrações que podem ser responsáveis por acidentes fatais

Por luana.benedito

Cartaz da campanha do Ministério dos TransportesReprodução Internet

Brasília - Uma campanha do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil está causando polêmica na Internet. Com o slogan "Gente boa também mata", a propaganda da Operação Rodovida quer chamar atenção para quem dirige utilizando o celular, embriagado ao volante, com excesso de velocidade, que faz ultrapassagens irregulares e o não utiliza cinto de segurança.

As cinco infrações podem ser responsáveis por acidentes fatais, mesmo que o motorista em questão seja considerado um "cidadão modelo". O governo lançou a campanha em vídeo e também espalhou outdoors por diversas cidades do Brasil, com textos como: "Quem resgata animais na rua pode matar"; "O melhor aluno da sala pode matar". 

Na página do Ministério dos Transportes no Facebook, a campanha dividiu opiniões e recebeu até o momento mais de 1,2 mil comentários.

"Pior campanha dos últimos tempos. Além de abobalhar a bondade, mistura uma avaliação moral das pessoas com a questão das mortes no trânsito. Campanha de baixa compreensão ética dos problemas da vida urbana! Até quando?", escreveu uma internauta. "Uma propaganda educativa, parabéns. Que um ser desperte já é válido", elogiou outra. 

Assista ao vídeo

Ricardo Tripoli, deputado federal (PSDB -SP) e ambientalista, usou a sua conta no Twitter dizendo que pediu a retirada da propaganda das ruas. "Sobre a campanha do Ministério dos Transportes, informo que já solicitei a retirada dessa publicidade das ruas. Seguimos vigilantes!", escreveu ele. Muitos usuários também se manifestaram na rede social.

— Trânsito Manaus (@TransitoManaus) 2 de janeiro de 2017

Procurada pelo DIA, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da Pública informou, nesta terça-feira, que as peças publicitárias abordam acidentes de trânsito causados a partir das cinco condutas mais perigosas segundo as estatísticas da Polícia Rodoviária Federal. 

De acordo com o órgão, o objetivo do governo é chamar a atenção para atitudes que até mesmo pessoas comuns podem ter ao volante, sem avaliar as consequências. Ainda ressaltou que na primeira etapa da campanha, o objetivo é chocar e chamar atenção para as práticas que geram acidentes involuntários por pessoas que não tem perfil de risco. Em sua segunda fase, a campanha explica de forma mais didática os cuidados para se evitar os problemas ao conduzir o automóvel. 

Segundo a secretaria, o alerta que se faz é que não apenas o motorista estereotipado como "inconsequente" provoca acidente. Mesmo que involuntariamente, qualquer cidadão pode causar acidentes graves e até mortes no trânsito com pequenas atitudes.

Sobre a operação

Rodovidas tem o objetivo prevenir e diminuir o número de acidentes de trânsito no período de grande movimento nas estradas, durante as festas de fim de ano e as férias escolares. O governo federal desenvolveu ações integradas envolvendo diversos ministérios, órgãos e agências. É coordenada pelo Ministério da Justiça, por meio da Polícia Rodoviária Federal, com apoio do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, por meio do DNIT e da ANTT.

De acordo com o Ministério dos Transportes,  a operação acontecerá em duas etapas: a primeira irá até 31 de janeiro (festas de final de ano e férias escolares); e a segunda, de 17 de fevereiro a 5 de março de 2017 (Carnaval) em 100 trechos críticos das rodovias federais em 17 Unidades da Federação.

Reportagem da estagiária Luana Benedito

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia