Defesa vê 'armação' e pedirá extradição de militar preso com 39 kg de cocaína

Militar deu procuração para que o advogado Carlos Alexandre Klomfahs seja constituído como seu defensor no Brasil

Por O Dia

Segundo-sargento da Aeronáutica é investigado por tráfico de drogas
Segundo-sargento da Aeronáutica é investigado por tráfico de drogas -
Espanha - A defesa de Manoel Silva Rodrigues, militar preso com 39 kg de cocaína na Espanha, prepara um pedido ao Ministério da Justiça e Segurança Pública para que o governo elabore um requerimento de extradição para julgamento do militar no Brasil. Também pediu acesso aos autos de inquérito administrativo e policial-militar sobre o caso.

O militar deu procuração para que o advogado Carlos Alexandre Klomfahs seja constituído como seu defensor no Brasil. "A defesa reitera que ainda não teve acesso a íntegra das acusações, mas que de pronto, refuta todas as acusações e afirma com convicção tratar-se de uma armação", afirmou, em nota à imprensa.

Segundo apurou o Estado, a defesa sustenta que ele deve ser extraditado e pretende refutar a acusação de que Rodrigues era responsável pela droga.

Rodrigues, que é comissário de bordo, fazia parte da comitiva de 21 militares que acompanha a viagem de Bolsonaro ao Japão, onde participa da reunião do G-20. O avião da Força Aérea Brasileira (FAB) em que estava o militar é usado como reserva da aeronave presidencial e, portanto, esta comitiva não fazia parte do mesmo voo que transportou o presidente. A droga foi encontrada em sua bagagem ao desembarcar em Sevilha, na Espanha, primeira etapa da viagem.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários