Freixo elogia bancada evangélica durante votação de destaque sobre pensão a viúvas

"O diabo não pertence à esquerda nem à direita; nisso somos democráticos", declarou o parlamentar do Psol em discurso na Câmara dos Deputados

Por PALOMA SAVEDRA

Deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ) discursa na Câmara
Deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ) discursa na Câmara -
Rio - Durante a análise de destaque à Reforma da Previdência que trata da pensão por morte, na Câmara dos Deputados, Marcelo Freixo (Psol-RJ) elogiou a postura da bancada evangélica, que, apesar de ser base do governo, está defendendo mudança nesse trecho do texto. A sessão ocorre ao longo desta quinta-feira no plenário da Casa.
Os parlamentares estão defendendo que não haja redução no valor da pensão. E, principalmente, que o benefício não seja inferior ao salário mínimo no país — hoje, de R$ 998,00.
"Queria aqui elogiar a postura da bancada evangélica. Acho fundamental nesse momento esse diálogo republicano e democrático. Tenho certeza que a bancada evangélica sabe que não vai haver diferença entre o que se prega e o que se vota. Eles sabem disso e estão de parabéns, porque eles sabem da importância das viúvas no pensamento religioso, nas suas pregações e no voto", discursou o psolista, logo após a fala do deputado Otoni de Paula (PSC-RJ).
Freixo complementou sua fala, dizendo que "eles sabem que são muitos os cristãos na esquerda também": "É inadmissível pensar uma viúva ganhando menos que um salário mínimo. Isso é inconstitucional, é anticristão, e isso nos unifica nesse momento. O diabo não pertence à esquerda nem à direita, nisso somos democráticos".
Ele terminou seu discurso com um texto bíblico: "Fazei justiça aos órfãos e cuidai das causas das viúvas; Isaías, Capítulo 1, versículo 17". 

Comentários