Veja a lista de outros líderes religiosos que também foram agredidos

Padre Marcelo Rossi foi empurrado do altar por uma mulher, neste último domingo, durante a celebração de uma missa no interior de São Paulo

Por iG

Papa João Paulo II, Apóstolo Valdemiro Santiago e Padre Marcelo Rossi
Papa João Paulo II, Apóstolo Valdemiro Santiago e Padre Marcelo Rossi -
São Paulo - O padre Marcelo Rossi, um dos líderes religiosos mais conhecidos no Brasil, foi agredido durante uma missa em Cachoeira Paulista, no interior de São Paulo, no último domingo (14). No evento, o sacerdote foi empurrado por uma mulher, que foi detida pela Polícia Militar. Ele não sofreu ferimentos e continuou a missa.
No entanto, o Padre Marcelo não foi o único sacerdote que já foi agredido. Abaixo, confira os líderes religiosos que já sofreram algum tipo de agressividade:
Papa João Paulo II
Em maio de 1981, o Papa João Paulo foi baleado por um terrorista turco. Após o atentado, Mehmet Ali Agca foi imediatamente preso e o Papa levado para o hospital, com dois ferimentos de bala. A cirurgia durou mais de cinco horas. Exatamente um ano depois, o padre espanhol Juan Maria Fernandez y Krohn atentou contra a vida do Papa usando uma faca.
Dom Odilo Scherer
O arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, foi agredido em março de 2016, no final da missa que abriu as comemorações da Páscoa, na Catedral da Sé, na capital paulistana. Uma mulher subiu no altar durante a celebração e o agarrou pelas costas, levando a mão ao rosto do arcebispo e o arranhado. Ela também foi contida por policiais militares.

Bispo Valdemiro Santiago
O líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, o apóstolo Valdemiro Santiago, levou uma facada no pescoço durante um culto, em janeiro de 2017. O homem que atacou o religioso foi preso em flagrante com um facão.

Pastor Antonio de Melo Sarges
No começo de junho deste ano, o pastor Antonio de Melo Sarges foi atacado com golpes de terçado (uma espécie de facão) por um homem que afirmava que sua esposa estava tendo um caso extraconjugal com o religioso em Tomé-Açú, no Pará.

Pastor Antônio Severino da Silva Cavalcante
Em janeiro de 2017, o último dos líderes religiosos da lista foi gravemente ferido com marteladas na cabeça durante um assalto em sua casa, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Durante o assalto, o pastor levou, ao menos, três marteladas na cabeça e no rosto, resultando no afundamento do crânio, traumatismo craniano e fratura na face.