Coronavac - Divulgação/Governo de São Paulo
CoronavacDivulgação/Governo de São Paulo
Por O Dia
São Paulo - As primeiras 120 mil doses da CoronaVac - vacina produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan - chegaram em São Paulo na manhã desta quinta-feira.   
O governador do estado, João Doria, acompanhou a chegada das vacinas no aeroporto de Guarulhos. O governo não divulgou o local onde os imunizantes serão guardados, por motivos de segurança. Elas ficarão guardadas até que os testes clínicos da CoronaVac estejam concluídos, e a Anvisa, junto ao Ministério da Saúde, autorize o começo da campanha de vacinação. 
Publicidade
"É a primeira vacina que aporta em solo nacional. Isso é importante: o Brasil já tem a sua vacina, que vai estar aguardando os trâmites junto à Anvisa e junto ao Ministério da Saúde para poder iniciar o programa de vacinação. E esperamos que comece aí em meados de janeiro no máximo até fevereiro e aguardamos as definições do Ministério da Saúde”, afirmou o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, à TV Globo. 
Os testes clínicos da CoronaVac estão avançados e apresentam resultados promissores. Nesta quarta-feira, um estudo publicado na revista Lancet resultados mostrou que o imunizante é seguro e oferece resposta imune dentro de 28 dias em 97% dos casos.
Publicidade
Essa primeira remessa faz parte de um lote de 6 milhões de doses adquiridas pelo governo de São Paulo, previsto para chegar até o final do ano. Além das vacinas, o Butantan também deverá receber, neste mesmo prazo, parte dos insumos necessários para fabricar outras 40 milhões de doses.