'Morre gente pra caramba até o capítulo 30', diz Carlos Lombardi sobre novela

'Pecado Mortal' terá pegada policial e drama, mas autor garante que não abandonou comédia

Por tabata.uchoa

Rio - Para quem assistiu ao clipe de apresentação de ‘Pecado Mortal’, próxima novela da Record, escrita por Carlos Lombardi, ficou a impressão de que o autor estava deixando de lado a comédia para investir em outro gênero. Mas não é bem assim. Apesar de a história se passar no fim dos anos 70 e ter uma pegada policial, Lombardi avisa que o telespectador verá de tudo um pouco.

Carlos Lombardi diz que sua novela tem%2C pelo menos%2C dez protagonistasDivulgação

“Toda novela minha tem um pouco de drama, um pouco de comédia, um pouco de ação e romance. Continua a mesma coisa. O que muda é o mix. Só aumentou a participação do drama e diminuiu a comédia. Mas não vou perder o meu bom humor nem o cinismo. Graças a Deus, consigo distribuir isso para vários personagens”, garante o autor de sucessos como ‘Quatro por Quatro’ (1994), ‘Uga Uga’ (2000) e ‘Pé na Jaca’ (2006), todas na Globo.

Com estreia marcada para o dia 25, ‘Pecado Mortal’ mostra a guerra entre duas famílias pelo controle do tráfico e do jogo do bicho. Dos 55 personagens, muitos não chegarão ao fim da trama. “Morre gente para caramba até o capítulo 30. Tem muita bala perdida”, conta Lombardi.

Os descamisados, uma marca registrada nos folhetins do autor, estão de volta. Fernando Pavão (o hippie Carlão), Victor Hugo (o policial Picasso), Iran Malfitano (o golpista Pedro) e Cláudio Heinrich (o pilantra Paulo) aparecem em várias cenas sem camisa. “Tenho dez protagonistas pelo menos. Estou tentando fazer mocinhos e bandidos multifacetados”, diz.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia