Série mostra o dia a dia de guarda-vidas

Profissionais considerados 'heróis da orla' são os protagonistas de 'Rio Resgate', que estreia sábado, no TLC

Por karilayn.areias

Rio - Termômetros acima dos 40 graus, sol a pino e um mar geladinho. Convite tentador para quem vai às praias da orla da Zona Sul à procura de um refresco nestes dias de verão. Mas apesar da água ser a melhor saída, também existem perigos que os mais desatentos só percebem quando não alcançam mais a areia. Enquanto isso, há quem observe tudo o que acontece para evitar situações de perigo: os guarda-vidas. No sábado, estreia ‘Rio Resgate’, no canal a cabo TLC — serão exibidos dois episódios; os outros 14 episódios irão ao ar sempre aos sábados, às 21h50 —, série que mostra a rotina dos guarda-vidas do 3º Grupamento Marítimo, localizado em Copacabana, durante esta época do ano.

Formatura de guarda-vidas do Terceiro Grupamento Marítimo%2C localizado em CopacabanaDivulgação

Mônica Monteiro, CEO da empresa Cine Group, responsável, ao lado do canal TLC, pela produção do programa, explica: “Por trás dos cartões-postais existe um risco real para quem não respeita a natureza. Um simples mergulho pode se tornar um desafio”. Sobre a importância da atração, quem fala é Fátima Pereira, diretora-executiva da produtora. “Precisamos alertar a todos sobre o perigo da falta de cuidados básicos nas idas à praia. E saber quem são essas pessoas, quem são esses guarda-vidas”, opina Fátima.

Um dos profissionais que aparecem durante os 16 episódios da temporada é Marcelo Pinheiro, 43 anos. O coronel diz que o programa vai proporcionar mais visibilidade à profissão. “Por falta de conhecimento, as pessoas acabam não nos valorizando. Só nos valorizam quando resgatamos um grande número de pessoas. Mas já é um ato heroico salvar apenas um”, diz ele. Segundo Marcelo, o programa também vai mostrar momentos de tensão que acontecem durante os salvamentos (são quase 400 por dia durante o verão). Ele relembra um caso que o marcou durante os 25 anos de carreira. “Um menino mergulhou e sumiu. Entramos no mar e na areia ficaram várias famílias rezando por nós, já que tinham certeza de que ele estava morto. Quando conseguimos resgatá-lo, os banhistas choraram, bateram palmas e isso me marcou”, conta.

Coronel Marcelo Pinheiro em episódio da temporada de ‘Rio Resgate’ Divulgação

Momentos como este acontecem com frequência e, para conseguir atender a todos, o número de profissionais nas praias cariocas aumenta em 50% durante o verão. Até março, cerca de 900 militares vão atuar na orla de todo o estado do Rio. Para resgates, eles têm o auxílio de jet skis, botes aquáticos, lanchas, aeronaves e estão fazendo testes com drones para levar boias às vítimas antes do socorro chegar. No quadro ao lado, confira as dicas dos guarda-vidas. 

Previna-se

Se uma onda for “quebrar em sua cabeça”, mantenha a calma, prenda a respiração, afunde e suba após a turbulência ter passado;

Caso sinta-se em perigo, mantenha a calma, evite debater-se, tente boiar, faça sinais e grite por socorro;

Consulte o guarda-vida sobre as condições para o banho e a prática de esportes;

Evite ingerir bebidas alcoólicas ou comer demais antes e durante o banho de mar;

Respeite placas, bandeiras e apitos dos guarda-vidas;

Nade apenas em áreas supervisionadas por guarda-vidas;

Deixe a praia em caso de chuvas ou raios;

Não caminhe para dentro do mar durante a calmaria;

Localize as valas e os bancos de areia.

Mais informações em: 3gmar.cbmerj.rj.gov.br


Com reportagem de Guilherme Guagliardi

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia