'Sou todas, a boazinha e a malvada', diz Adriana Esteves

Atriz fala de sua vilã em 'Segundo Sol' e da personagem que sofre violência doméstica em filme

Por O Dia

Adriana Esteves
Adriana Esteves -

Rio - Adriana Esteves tem momentos de muita ternura em 'Benzinho', o belo longa de Gustavo Pizzi, coescrito pelo diretor com sua ex-mulher e atriz permanente, Karine Teles. Em entrevista, Karine disse que criou a personagem da irmã para poder abordar a violência doméstica. Adriana, no filme, apanha do marido, César Charlone. E, mesmo assim, num momento de fraqueza dele, a mulher agredida, humilhada, estende a mão para seu agressor.

Na TV, ninguém espera esse tipo de reação numa personagem interpretada pela atriz, que já foi Carminha e continua na senda da maldade na atual novela de João Emanuel Carneiro, 'Segundo Sol', na Globo. Laureta é outra peste que Adriana faz com desenvoltura.

Há meses, a atriz tem uma rotina puxada. Além de gravar o dia todo nos Estúdios Globo, ela tem de encaixar os cuidados com os filhos e o marido, o também ator Vladimir Brichta. "Gosto muito do que faço, mas minha prioridade sempre vão ser eles. Sou daquelas mulheres que nascem para ser mães. Se não fosse mãe biológica, teria filhos adotivos, mas seria mãe de qualquer jeito", diz.

Essa maneira de falar dos filhos talvez já dê uma pista sobre essa notória 'maldade' da nossa Bette Davis. Em Hollywood, nos anos 1930 aos 60, Bette criou sua persona na tela sempre associada aos papéis de mulheres más. Por isso mesmo, foi com assombro que se descobriu que justamente em 'A Malvada' a 'pobre' Bette era vítima das maquinações de uma pior que ela, a Eva de Anne Baxter.

E Adriana? Ela ri. "Sou todas elas, a boazinha e a malvada. Tenho várias malucas dentro de mim. Todo mundo tem. Ninguém é completamente bom, nem completamente mau. Olha a Laureta, apaixonada por aquele garoto, como ela se adoça com ele. Acho, sinceramente, que todos temos essas áreas sombrias, essas revoltas que alguns ousam externar", diz. "Sou uma escrava do texto, ele me fornece sempre a inspiração, seja o de Karine (Teles) ou o do João Emanuel. Como atriz, tenho de entender minhas personagens e entregá-las como são, sem julgamentos, para o público".

PROVOCAÇÃO

O próprio João Emmanuel, que criou Carminha (de 'Avenida Brasil') e agora Laureta, provoca, segundo a atriz. "Difícil, nessa novela, é achar o bonzinho. Tá todo mundo na vibe do mal. Como retrato do Brasil, é bem pesado", avalia. Antes de falar de Amir Haddad, seu guru, ela comenta sobre Octávio Müeller, que faz o marido de Karine em 'Benzinho'. "O Octávio é um amigo querido, e foi ele que fez a ponte com a Karine e o Gustavo (diretor). Falou que era um papel pequeno, mas e daí? Eu já havia visto o 'Riscado' (longa anterior de Pizzi e Karine, quando ainda formavam um casal). Eram pessoas que eu já queria encontrar, com quem queria trabalhar. Não importa o tamanho do papel, e sim a possibilidade que ele oferece".

Na TV e no cinema, ela começou fazendo personagens ingênuas, ou que assim pareciam. Nada a predispunha a uma grande mudança, mas ela veio. "É o que estou dizendo. Foram os encontros, as pessoas que me influenciaram. O Amir (Haddad), no teatro, foi um farol". Com ele e Marcos Palmeira , Adriana fez 'O Auto de Angicos', contando a história de Virgolino Ferreira e Maria de Déa, que se tornaram conhecidos no cangaço com Lampião e Maria Bonita. "Naquele momento (2007), eu já estava vivendo um momento de inquietação profissional".

Em 'Segundo Sol', a atriz é dirigida por Dennis Carvalho, diretor-geral da novela. "Com o Dennis, eu fiz a minissérie sobre Dalva (de Oliveira) e o marido compositor, o Herivelto (Martins). Era um casal complicado, mas vejam a obra deles. Viviam num inferno, mas criaram músicas que permanecem e serão eternas".

O 100º capítulo da novela de João Emanuel Carneiro está próximo. Quem segue as novelas do autor sabe que ele adora as grandes reviravoltas, como foi em 'A Favorita' e 'Avenida Brasil'. Como será em 'Segundo Sol'? "Tenho lido e ouvido todo tipo de especulação, mas por enquanto é só isso. Especulação", despista a atriz. Na internet, porém, já foi dito que Laureta descobre que Karola (Deborah Secco) mandou matar Remy (Vladimir Brichta) e que arma com Karola para que Luzia (Giovanna Antonelli) seja a principal suspeita. Pelo visto, a vilã ainda vai aprontar muito.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários

Últimas de Televisão