'Me tiraram e continuaram a banda sem mim', diz Solange Almeira sobre Aviões do Forró

Cantora participou do 'Domingão do Faustão' e explicou porque entrou na Justiça contra o grupo

Por O Dia

Solange Almeida contou porque decidiu entrar na Justiça contra o Aviões do Forró
Solange Almeida contou porque decidiu entrar na Justiça contra o Aviões do Forró -
Rio - Solange Almeida se apresentou no quadro "Show dos Famosos", no "Domingão do "Faustão", e aproveitou para falar sobre o fato de ter entrado na Justiça contra o grupo Aviões do Forró, do qual fazia parte. 
"Isso não tirou seu foco, não atrapalhou você?", perguntou Faustão sobre o processo. "Nem pode. É uma questão que já era para ter sido resolvida. Esperei quase dois anos alguma posição, não tive. Tentei ter algumas conversas", disse. 
"É uma questão trabalhista?", perguntou Faustão. "É uma apuração de haveres, como não veio, ingressei na Justiça. Eu era sócia, tinha 25%. Assinei minha saída da sociedade, fiquei esperando para ter a minha parte. Esperei dois anos, como não veio, ingressei na justiça com o pedido de apuração de haveres", explicou a cantora. 
"Aconteceram muitas coisas, vários rumores, as pessoas falam muito. Na minha saída, eu tive uma decisão a ser tomada porque sempre fui uma mulher muito forte, e mulheres fortes muitas delas sofrem muito. Eu sofri muito porque quis que tudo parecesse um conto de fadas, que fosse tudo bonito", continuou. 
"Fui muito julgada na época, porque as pessoas diziam que eu queria o dinheiro só para mim, que eu queria ir para carreira solo, e não era nada daquilo. Quem me acompanha sabe que nós tínhamos uma história que a Aviões do Forró ia acabar. E de uma hora para outra eles simplesmente me tiraram e continuaram a banda sem mim. Eu me calei, fiquei ali caladinha, aguentei tudo dizendo que tinha saído porque queria", completou.
Solange ainda falou sobre o preconceito contra a mulher. "Enfim, passou, graças a Deus, estou viva, bem, feliz. Como eu disse, por ser mulher, a gente passa por muita coisa, e o forró, infelizmente é muito preconceituoso. A mulher ganha menos, canta menos, não tem voz...", desabafou. 
"No Nordeste nós mulheres do forró sofremos muito com isso. Outras cantoras passaram por isso, como Simone e Simaria, migraram pro sertanejo. Tenho certeza que essa história vai mudar, vamos ter voz e vez, tenho certeza disso", finalizou.

Comentários