Cena de aborto em 'A Dona do Pedaço' mexe com o público

Personagem de Cynthia Senek morreu por complicações de procedimento feito em clínica clandestina

Por O Dia

Edilene morreu após complicações de um aborto feito em clínica clandestina
Edilene morreu após complicações de um aborto feito em clínica clandestina -
Rio - A novela "A Dona do Pedaço", exibida pela Globo, abordou nesta semana o tema aborto. A personagem Edilene, vivida pela atriz Cynthia Senek, morreu por conta de complicações de um aborto feito em clínica clandestina. A jovem se submeteu ao aborto a mando de Otávio (José de Abreu), dono da casa onde ela trabalhava como empregada doméstica e com quem ela tinha um caso. A cena emocionou os telespectadores e repercutiu nas redes sociais. 
A própria atriz escreveu um longo texto nas redes sociais agradecendo a oportunidade de abordar um tema que mexe com a vida de tantas mulheres. 
"Obrigada, Walcyr Carrasco [autor] e Amora Mautner [diretora] por confiarem em mim para um papel tão delicado e especial, cheio de mensagens como essa, que eu como atriz e ser humano adoro experienciar. Mais uma personagem para meu currículo que me fez aprender e mudar de opinião sobre muita coisa. Edilene se foi, mas nos deixou com um ótimo tema para dialogar: o aborto. Independente de qual seja a sua escolha, o fato é que ele acontece todos os dias. Sendo mais precisa, a cada minuto é realizado um aborto no Brasil. O aborto ser proibido ou não, não faz com que ele não seja praticado. 500 mil mulheres por ano abortam no Brasil. Cada um de nós passa por diversas dificuldades em nossas vidas e cabe somente a nós escolhermos o que é melhor ou não", escreveu.
 

Comentários