'Sintonia': saiba mais sobre a série produzida pela Kondzilla para Netflix

Kondzilla, um dos maiores produtores e diretores dos clipes de funk ostentação do país, cria série sobre jovens vivendo na periferia paulista

Por iG

Christian Malheiros, Bruna Mascarenhas e MC Jottapê interpretam protagonistas de 'Sintonia'
Christian Malheiros, Bruna Mascarenhas e MC Jottapê interpretam protagonistas de 'Sintonia' -
São Paulo - Se é produção brasileira que o público quer, é isso que a Netflix tem! Nesta sexta-feira (9), “Sintonia” chegou à plataforma de streaming e já é um sucesso. Contando a história de três jovens da periferia de São Paulo, a produção de Kondzilla promete fazer barulho por onde passar.

No entanto, para entender o sucesso imediato da série, é preciso conhecer o que (neste caso, quem!) está por trás de toda a produção: Kondzilla. Konrad Dantas, nascido e criado na periferia do Guarujá, litoral de São Paulo, se tornou um dos maiores nomes, se não o maior, por trás dos clipes do funk ostentação desde o começo de 2012.

De lá para cá, o estilo de música ganhou uma força absurda, assim como o nome do produtor no cenário nacional. Inúmeros nomes do funk paulista foram lançados e alavancados pelo selo, como MC Lan, MC Bin Laden, MC Brinquedo, MC Brisola, Jerry Smith, entre outros.

O canal dele no Youtube, inclusive, é um dos maiores do Brasil, o maior canal de música do mundo e, atualmente, conta com mais de 50 milhões de inscritos, além de mais de 25 bilhões de visualizações no site. E não é só isso. Sob o guarda-chuva de Kond, existe uma produtora, uma gravadora e um e-commerce de roupas. Ele ainda é empresário de alguns artistas e diretor na produtora Conspiração Filmes.

Agora, ele embarca também na Netflix com “ Sintonia” . A série, que já está disponível, conta a história de três amigos: Doni (MC Jottapê), Nando (Christian Malheiros) e Rita (Bruna Mascarenhas), que possuem sonhos distintos, mas que correm atrás do que querem, mesmo que usem de artifícios controversos.
Veja o trailer de 'Sintonia':


“Em 2012 o funk de São Paulo estourou muito com a vertente ostentação. Muitas pessoas criticavam o nosso trabalho, dizendo que nós incentivávamos os jovens a fazerem coisas erradas. A história toda começou com um tênis”, explicou Kond em entrevista ao “The Noite”, apresentado por Danilo Gentili, no SBT.

“Era a história de três amigos que construíram caminhos diferentes na vida para comprar um tênis de mil reais. Essa era a ideia para um curta-metragem. Depois, conheci um diretor de fotografia, que me disse que isso poderia ser um longa. Aí, ele me apresentou para um roteirista, que afirmou que poderia ser uma série. E foi assim que aconteceu”, contou.
Narrada do ponto de vista dos três personagens, a produção explora exibe a conexão entre música, crime e religião na capital paulista. Doni, por exemplo, tem o sonho de ser um MC de sucesso e alcançar a fama. Nando se vê desesperado para dar uma vida melhor à família e se envolve com o tráfico de drogas. E Rita vê na religião a saída para todos os seus problemas.

Além de tudo isso, o primeiro episódio da série do Kondzilla também está disponível no canal do Youtube e ficará até domingo (11).

Comentários