José Alfredo e Maria Ísis (Marina Ruy Barbosa)
José Alfredo e Maria Ísis (Marina Ruy Barbosa)Globo/ Ellen Soares
Por Juliana Pimenta
Rio - O Comendador está de volta! A partir desta segunda-feira, a novela 'Império', exibida originalmente em 2014, volta a ser reprisada na faixa das 21h na Globo. A trama, que tem como protagonista José Alfredo, vivido por Chay Suede e Alexandre Nero, revela uma trajetória de ambição, mas permeada por muitos amores.


Na expectativa pela reexibição da novela, que além do sucesso com o público, foi ganhadora do Emmy Internacional 2015 de Melhor Novela, o elenco comenta sobre os bastidores e percepções em relação à trama.

Alexandre Nero, por exemplo, tenta justificar o carinho do público em relação ao protagonista, que não era nem vilão, nem mocinho: "O Comendador era um homem grotesco, que maltratava um pouco as pessoas. Fica muito claro que, a partir do momento em que ele encontra a filha, é ela quem começa a fazer o coração dele amolecer. Ele era um homem que só queria saber de dinheiro – era essa a relação dele com o mundo. Mas o encontro com a Cristina o torna mais afetuoso e afetivo. É vida real. Se ele fosse um homem 100% agressivo, as pessoas não se identificariam com ele. É o famoso anti-herói. É grotesco, mas humanizado. No caso do Comendador, acho que foi esse encantamento que as pessoas tiveram com ele", explica.

Ansiedade pela volta

Já Leandra Leal, que vivia Cristina, a filha simples do Comendador, comemora a volta da trama à TV. "Foi uma novela que trouxe muitas relações para mim, de amizade e de carinho. O Papinha (Rogério Gomes, diretor artístico) estabelece um clima muito feliz de trabalho. Foi mágico! Estou superempolgada para ver a novela, acho que vai ser muito divertido. Saí de 'Império' muito consciente do tamanho do desafio que é ter um papel importante em uma novela. Ao mesmo tempo, saí muito feliz com o meu trabalho e por ter vivido esse desafio, por ter ido até o fim com disciplina", destaca a atriz, que recebe coro da madrasta da ficção, Lilia Cabral.

"Foi um trabalho que só agregou coisas boas: boas interpretações e o envolvimento do elenco e do público com a história. E eu tenho me acompanhado nas reprises. De 'Fina Estampa' para cá, quanta coisa mudou ao longo desses anos... e como faz bem a gente perceber esse caminho para melhor! No caso de 'Império', as pessoas lembram mais da história, mas é impactante ver como muita coisa também mudou ao longo dos últimos seis anos, e às vezes nem nos damos conta. Vamos perceber quando estivermos assistindo", diz a intérprete de Maria Marta.

Reviravolta

Marjorie Estiano, por sua vez, tem uma percepção bem específica de sua trajetória na novela. Escalada para viver a vilã Cora na primeira fase da trama, a atriz teve que voltar ao papel após um problema de saúde de Drica Moraes.

"Esse retorno à novela foi muito marcante para mim. Me explicaram que a Drica precisaria se ausentar e o Aguinaldo sugeriu que eu retornasse. Fiquei receosa com a transição, em como o público iria encarar. Depois que conversei com a Drica, fiquei mais tranquila e quando eu vi a importância dessa mudança tão significativa, encarei melhor. Com o tempo, as pessoas já estavam envolvidas com a trama e compreendendo que foi uma necessidade técnica. Aos poucos fui me sentindo mais à vontade e me diverti muito. Foi um aprendizado imenso", lembra.