Luciano Huck no quadro ’Lar Doce Lar’TV Globo / Divulgação

Rio - Este ano vai ficar marcado na vida de Luciano Huck como um período de encerramento de ciclos e início de novas jornadas. O apresentador de 50 anos, completados na última sexta-feira, deixou as tardes de sábado da Globo para dar início a um novo desafio profissional: comandar o “Domingão com Huck”, ao vivo, num dos horários mais disputados da televisão brasileira, substituindo ninguém mais ninguém menos que Fausto Silva, o Faustão, que esteve no horário por 32 anos. Para Luciano, o “Caldeirão” vai ficar para sempre na memória, mas o apresentador comemora a oportunidade de usar sua voz para falar com ainda mais pessoas.
“Eu acho que a vida é feita em ciclos. Então, você precisa ter a sabedoria de abrir, de ver e de encerrar os ciclos com o melhor que você pode dar em cada um deles. O ciclo do ‘Caldeirão’ foi de 21 anos muito bem vividos, que não voltam, mas que estão guardados na memória e cumpriram um capítulo na história da televisão de um jeito muito potente e afetivo para mim”, afirma o apresentador, que não deixa de pensar no lado humanitário de seu trabalho.

“Ontem iniciei um novo ciclo. Acho que há uma certa simbologia em começar um novo ciclo profissional aos 50 anos e em um momento em que o país precisa colar os cacos depois de um ano tão difícil. Poder ter a força da televisão aberta – que é quem, mesmo com toda a tecnologia, ainda fala verdadeiramente com 210 milhões de pessoas – para se conectar com as pessoas e dar protagonismo a elas, mostrar assim um lado bom do brasileiro, resgatar a autoestima e esperança, sem perder a diversão, a emoção e a inspiração que eu sempre trouxe para a televisão… Acho que é um privilégio e um momento para ser levado a sério. Momento de muito trabalho, de muita criatividade e de muita conexão com a realidade”.
"Um brasileiro melhor"

O apresentador destaca que essas duas décadas à frente do “Caldeirão” e o contato mais próximo com as famílias brasileiras o transformaram em uma pessoa melhor. “Quem me acompanhou nos últimos 21 anos aos sábados, na TV Globo, talvez tenha tido a impressão de que a gente [eu e o programa] é que estava impactando a vida das pessoas de alguma forma, realizando sonhos. Mas eu tenho bastante segurança para dizer que o rio corre em direção oposta”, garante.

“O impactado e transformado nesses anos todos fui eu. Esse banho de realidade que eu levei ao ter o privilégio de entrar na casa das pessoas, trocando ideias, me fez um brasileiro melhor, um pai melhor, um filho melhor, um marido melhor. Então, eu devo muito a esses 21 anos na televisão e, principalmente, às pessoas que compartilharam as suas histórias comigo. Foi a coisa mais transformadora na minha vida até hoje”.

Feliz com o primeiro “Domingão”

O primeiro “Domingão com Huck” uniu quadros consagrados da antiga versão do programa com quadros do “Caldeirão” e teve uma enorme repercussão nas redes sociais. As cantoras Glória Groove e Margareth Menezes arrasaram no “Show dos Famosos”, característico do antigo “Domingão”. Mas o programa também contou com o quadro “Quem Quer Ser Um Milionário?”, game-show que antes fazia parte do “Caldeirão”. Luciano explica que a intenção é levar o melhor para o telespectador e “reverenciar” seus antecessores.

“A gente juntou as equipes do ‘Domingão’ e do ‘Caldeirão’. E acho importante falar isso porque o domingo é um dia sagrado para as famílias. É o dia em que todos se reúnem na frente da televisão. Por isso, a gente precisa reverenciar quem veio antes de nós neste horário. Dos ‘Trapalhões’ ao Silvio Santos, mas especialmente o Fausto Silva”, diz o apresentador, que é só elogios para Faustão.

“Além de um amigo, ele sempre foi uma referência e uma inspiração. O meu papel é seguir essa trilha de sucesso, mas ‘atualizando o software’, porque o mundo está mudando e isso é necessário. Televisão se faz em equipe. Então, eu uni a minha equipe, que está comigo há muito tempo, e parte da equipe do ‘Domingão’, que conhece muito o horário, tem experiência e sempre fez um trabalho muito bom”, pontua Huck, que também fala sobre a escolha do nome do programa.

“Ser o ‘Domingão com Huck’ e não ‘do Huck’ foi uma decisão pensada. Eu não queria que fosse um programa meu. É um programa nosso, um programa com o Luciano, com a Laura, com a Bárbara, com o João, com a Ana, com todo mundo. É um programa feito para que as pessoas se enxerguem nele. Os grandes protagonistas do ‘Domingão’ são os brasileiros em todos os seus recortes do país”.

Agora que o programa já estreou, Luciano Huck está feliz com o resultado e espera continuar fazendo um bom trabalho. “Acho que o ‘Domingão’ manteve a vocação de emocionar e divertir as pessoas nas tardes de domingo. Foi um programa solar. Eu valorizo muito a minha família, então também valorizo o momento em que as pessoas estão do outro lado da tela junto com as famílias delas”, garante. “Por isso, tivemos um programa alegre, divertido, bem-humorado, mas que não se furtou de ser um espaço para contribuir com a construção de um futuro melhor”.

Relembre a trajetória de Luciano Huck:

Luciano Huck nasceu no dia 3 de setembro de 1971 em São Paulo. O apresentador estagiou em agências de publicidade quando mais jovem e, em 1995, a coluna “Circulando”, que Luciano assinava no “Jornal da Tarde”, foi transformada em programa na “TV Gazeta”.

Em 1996, Luciano Huck estreou na Band, comandando o programa “H”, onde ficou por três anos. Foi no “H” que o apresentador criou personagens como a Tiazinha, vivida por Suzana Alves, e a Feiticeira, vivida por Joana Prado.

No dia 8 de abril de 2000, o apresentador fez sua estreia na Globo com o “Caldeirão do Huck”, onde permaneceu por 21 anos. Neste meio tempo, em 2004, casou-se com a apresentadora Angélica, com quem tem três filhos: Joaquim, Benício e Eva. Por muito tempo, o casal dividiu as tardes de sábado na Globo, com Angélica à frente do “Estrelas” e Luciano com o “Caldeirão”.

No “Caldeirão”, Luciano Huck teve inúmeros quadros famosos como é o caso do “Agora ou Nunca”, “Lar Doce Lar”, “Lata Velha”,”Visitando o Passado”, “Soletrando”, “The Wall” e “Quem Quer Ser Um Milionário?”.

Em 2017, começaram especulações de que Luciano Huck seria candidato à Presidência da República e o nome do apresentador chegou a ser incluído em várias pesquisas de opinião. Huck participou de encontros com alguns nomes de partidos, mas nunca afirmou publicamente que seria candidato.